Quarta, 13 de Dezembro de 2017

ARAL MOREIRA

Após assassinato de irmãos, indígenas fazem protesto

31 JAN 2014Por A GAZETA NEWS00h:00

Um grupo de indígenas da etnia guarani-kaiowá residentes no Bairro Satélite, em Aral Moreira, fez ontem (30) protesto pacífico na cidade.

Vestindo trajes típicos da cultura indígena o grupo percorreu algumas ruas da cidade, como protesto pela morte dos irmãos indígenas – ocorrido no último final de semana- e cobrar melhores acessos aos benefícios sociais disponibilizados pelo Governo Federal, por intermédio da Federação Nacional do Índio (Funai), pelas 82 famílias indígenas desaldeados que residem no referido bairro.

Em contato com a Funai em Ponta Porã, os indígenas cobraram a presença de um representante do órgão no bairro, a fim de buscar uma solução para os problemas das famílias.

Ontem, o representante do núcleo da Funai de Amambai, Jorge Pereira da Silva, esteve no bairro Satélite e se reuniu com as famílias. Na ocasião, os indígenas fizeram diversas reivindicações que segundo eles, é de suma importância e trará melhorias as famílias residentes naquela localidade.

Entre as solicitações feitas estão: providências dos órgãos de proteção aos índios, maior preocupação no sentido de promover e garantir mais segurança e acesso aos benefícios sociais do Governo Federal, entre outros.

Visando cobrar uma resposta dos órgãos competentes, foi realizada também uma audiência no Ministério Público de Ponta Porã, com quatro representantes indígenas do bairro, visando formalizar as reivindicações da população indígena que residem no Bairro Satélite.

Assassinato

Os dois irmãos indígenas foram assassinados na noite do último sábado (25) no Bairro Satélite, onde residiam com a mãe. Nilton Vargas, 25 anos, e Cezar Vargas, 24 anos, foram alvejados com vários tiros de pistola 9mm.

Segundo informações, os suspeitos estariam em uma motocicleta. O mais novo, Cezar Vargas, ainda chegou a ser socorrido com vida, não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo ao dar entrada no Hospital Municipal.O caso está sendo investigado pela Policia Civil de Aral Moreira

Leia Também