Após 7 anos, bairro londrino ainda lembra morte de Jean Charles

Após 7 anos, bairro londrino ainda lembra morte de Jean Charles
21/07/2012 22:00 - TERRA


A morte do brasileiro Jean Charles de Menezes, em 22 de julho de 2005, ainda é lembrada por quem passa por Stockwell, bairro residencial de classe média situado na região sul de Londres. Seja na entrada da estação do metrô onde o eletricista foi alvejado com diversos tiros na cabeça por policiais da brigada anti-terrorista da Scotland Yard, ou na lembrança de moradores dali, a tragédia que completa sete anos neste domingo marcou uma região considerada tranquila dentro da agitada capital inglesa.

"Uso o metrô todos os dias, e em muitos momentos, penso no que foi tudo aquilo, e especialmente para a família de um jovem que morre de forma inocente e tão estúpida. Certamente, nosso bairro ficou mais triste depois daquele dia", afirma o arquiteto Hugh McVille, 42 anos, em frente ao painel com a foto do brasileiro que lembra as circunstâncias de sua morte e pede justiça para o caso.

Steve Hill, jardineiro de 37 anos que mora no bairro desde que nasceu, lembra que a rotina pacata na região foi completamente quebrada naquele dia. As primeiras notícias que corriam era de que havia ocorrido um atentado terrorista na estação de metrô, e que o suposto criminoso havia sido morto.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".