Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Após 56h, cabeleireira desiste de protesto

20 AGO 10 - 05h:00
MICHELLE ROSSI

Depois de 56 horas em greve de fome e acorrentada à grade do Hospital Regional Rosa Pedrossian, a cabeleireira Edna Lima Bronze, de 33 anos, decidiu interromper o protesto contra suposto erro médico ontem, por volta das 16 horas. Durante o período em que esteve no local, ela ficou sem se alimentar.   
Depois de finalizar o protesto, Edna procurou atendimento no próprio hospital, onde foi recebida por assistente social e, em seguida, internada. No local, ela teve o estado de saúde avaliado, foi medicada e recebeu dieta leve para se recuperar do período em que ficou sem comer.
A cabeleireira alega que foi vítima de erro médico durante operação no dia 4 de abril deste ano. Na última terça-feira, Edna acorrentou-se à grade do hospital e começou a chamar a atenção de quem passava pela Avenida Marechal Rondon. Ela afirma que foi operada de apendicite enquanto, na realidade, seu diagnóstico era de gravidez tubária – fato confirmado pelo hospital. O corte deixado em sua barriga também motivou o protesto, pois foi feito de forma vertical do umbigo à região pélvica, quando poderia ter sido feito no corte da cesariana que ela já tinha.
“A médica que me operou veio conversar comigo ontem (quarta-feira) e disse que não fez o ultrassom para me dar o diagnóstico momentos antes da cirurgia porque aos sábados e domingos o hospital não dispõe do serviço (a cirurgia dela aconteceu num fim de semana)”, relatou Edna. O hospital, por meio de assessoria, disse que o serviço de ultrassom é utilizado também aos fins de semana.
Com relação ao corte, que hoje transformou numa grande cicatriz, a manifestante disse que a médica alegou “não ter conhecimento de que o corte poderia ter sido feito em outro local”.
Há a possibilidade de uma cirurgia plástica reparadora na região da cicatriz do corte, intervenção que foi oferecida pelo hospital e aceita por Edna, que só pretende ser submetida ao procedimento depois que se recuperar da última cirurgia. (Colaborou Vânya Santos)
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

ECONOMIA

Ministério da Agricultura diz que preço da carne caiu 9% desde início do mês

Dólar cai para R$ 4,146 e fecha no menor nível em quase um mês
ECONOMIA

Dólar cai para R$ 4,146 e fecha no menor nível em quase um mês

Dois hospitais de MS realizarão diagnóstico gratuito de câncer de pele
DEZEMBRO LARANJA

Dois hospitais de MS realizarão diagnóstico gratuito de câncer de pele

PDT suspende vereadores que não assinaram CPI do Ônibus
90 DIAS

PDT suspende vereadores que não assinaram CPI do Ônibus

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião