quinta, 19 de julho de 2018

outros investimentos

Apesar do baixo rendimento, poupança é ainda a opção favorita do brasileiro

15 NOV 2010Por Carlos Henrique Braga00h:00

Apesar da popularização, a adesão à bolsa no Brasil ainda é pequena em comparação a países desenvolvidos. Quase 25% dos norte-americanos investem em ações. Em Mato Grosso do Sul, essa relação é de 0,17%; no País, os 615,6 mil investidores de outubro representaram 0,31% dos 193 milhões de habitantes. Para o professor da BM&FBovesa, Netto Filho, a mudança é cultural e leva tempo. "Nos Estados Unidos, as famílias conversam sobre investimentos desde cedo, e as crianças ganham ações em vez de poupança", compara.

Por falar nela, a poupança ainda é a grande aposta dos brasileiros, apesar do baixo rendimento frente à bolsa e outros investimentos, como títulos públicos, dólar, ouro etc. No ano passado inteiro, as cadernetas renderam 6,7%, mas deram segurança ao poupador. O contrário ocorre com a bolsa. Com riscos e rentabilidade maiores, ela é procurada para formação de capital a longo prazo. "Ação é de risco, mas dá retorno", propagandeia o professor.

Leia Também