Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

JUDICIÁRIO

Apesar de protestos, fórum atende só à tarde a partir de hoje

1 SET 10 - 06h:27
DANIELLA ARRUDA

Um dia antes de entrar em vigor, mudança no expediente forense do Judiciário de Mato Grosso do Sul, que passa a concentrar os atendimentos no período da tarde a partir de hoje — das 12h às 19h —, ainda é ignorada pela maior parte da população e vista com insatisfação por advogados e estagiários de Direito, que na prática terão que concentrar serviços e participação em audiências em apenas um período. Para usuários do Fórum de Campo Grande entrevistados ontem pelo Correio do Estado, o novo horário pode gerar aglomeração de pessoas nos cartórios, mais tempo de espera por atendimento e ainda agravar a morosidade da Justiça no encaminhamento de processos. A medida, que foi classificada como retrocesso pela seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Mato Grosso do Sul, produzindo reação negativa também entre o setor industrial do Estado, está tendo a legalidade contestada no Supremo Tribunal Federal (STF).
A alteração do horário do expediente forense deve vigorar até o dia 28 de fevereiro de 2011. Pela medida, quem procurar o Fórum de Campo Grande hoje pela manhã, por exemplo, terá acesso somente aos serviços de protocolo, distribuição de processos e o PAC (atendimento ao cidadão). A estrutura completa de atendimento estará disponível somente à tarde. Audiências marcadas no período matutino antes da publicação da resolução serão realizadas normalmente.
Além disso, conforme informações da assessoria de imprensa do TJ, o Poder Judiciário disponibiliza serviços via web que dispensam a presença das partes e dos advogados nos cartórios, tais como o sistema PUSH, o processo virtual, o portal Mobile, entre outros, possibilitando o acesso às informações sobre andamento dos feitos em tempo integral, inclusive sábados, domingos e feriados.

Justificativa
Segundo o Tribunal de Justiça, a mudança atende à resolução nº 88 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que pretende unificar o horário de atendimento e jornada de trabalho dos servidores dos Judiciários de todo o País, para sete horas ininterruptas ou oito horas, divididas em dois períodos. Porém a principal justificativa para a alteração é a redução de despesas — com a concentração da força de trabalho durante o período vespertino, o TJ economizará R$ 450 mil com despesas de água e energia elétrica, além de evitar geração de nova despesa de R$ 3 milhões com contratação de funcionários durante os próximos seis meses. Os 4 mil servidores do Judiciário no Estado mantêm a carga horário normal, porém passarão a cumprir expediente das 12h às 18h e das 13h às 19h.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

QUATRO MORTES

Sobe para 21 o número de casos suspeitos de intoxicação por cerveja

Abertura de mercados internacionais ampliam perspectivas econômicas, diz presidente do Sicredi
COOPERATIVISMO

Abertura de mercados internacionais ampliam perspectivas econômicas, diz presidente do Sicredi

Confira o resultado final <br>do vestibular da UFMS
EDUCAÇÃO

Confira o resultado final
do vestibular da UFMS

Bolsa acentua alta no fim e renova máxima histórica, a 118.861,63 pontos
MERCADO FINANCEIRO

Bolsa acentua alta no fim e renova máxima histórica, a 118.861,63 pontos

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião