Anvisa suspende venda e uso de remédio usado para azia e dor de estômago

Anvisa suspende venda e uso de remédio usado para azia e dor de estômago
18/01/2014 22:00 - correio24horas


 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou que o medicamento Kollangel tivesse a sua distribuição e comercialização suspensas. Em anúncio publicado na última sexta-feira (17), o órgão disse ter identificado irregularidades no lote 46.194 do produto. O Kollangel é um comprimido mastigável, que se assemelha a uma pastilha, utilizado para o alívio de sintomas da hiperacidez gástrica, azia e dor de estômago.

De acordo com a publicação feita no Diário Oficial da União, o remédio produzido pela Natulab Laboratórios S.A. apresentou resultados considerados insatisfatórios e foi reprovado em testes feitos com rotulagem, aspecto e contagem de microorganismos.

Esta não é a primeira vez que o Kollangel apresenta problemas. Em setembro do ano passado o remédio também foi suspenso pela Anvisa, por apresentar as mesmas falhas.

Em nota oficial, o grupo Natulab, responsável pela fabricação do remédio, informou que realizou uma análise de contraprova acompanhada por técnicos especializados e alguns métodos usados pela Anvisa foram contestados. No entanto, a empresa garantiu que o lote será retirado de circulação. “Até o fim de janeiro, todo o lote de Kollangel Suspensão Oral reprovado já estará fora do mercado”, diz a nota.
 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".