Domingo, 21 de Janeiro de 2018

Antonio João deixa o comando do PTB regional

12 MAI 2008Por 20h:04
     

Lívia Ferreira

 

Após um final de semana conturbado envolvendo troca de acusações de golpe e manobras políticas, o jornalista, empresário e suplente de senador Antonio João Hugo Rodrigues confirmou hoje que está deixando a presidência do Diretório do PTB de Mato Grosso do Sul, retomando a função de diretor da TV Campo Grande e abandonando a idéia de concorrer a qualquer cargo eletivo nesta campanha. "Vou embora para casa cuidar da minha vida e abandonar a política. Às vezes parece que a política não é para gente séria. Gente boa sofre muito na política", afirmou ontem.

Tesoureiro-geral do PTB no Estado, Ivan Louzada, que articulou a composição da nova executiva e deve assumir o cargo de presidente, afirmou ontem que suas relações políticas com Antonio João estão rompidas.A destituição de Antonio João, segundo Louzada, deve ser oficializada amanhã pelo presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson.

Provável substituto de Antonio João na presidência regional do partido, Ivan afirmou que a gota d?água para o estremecimento da relação entre os dois foi o fato de o empresário ter mandado trocar as fechaduras da sede do partido. "Quando cheguei sábado ao PTB e vi aquela cena do chaveiro trocando a fechadura do PTB, fiquei chocado. O Antonio João não precisava ter feito aquilo com a gente. Foi uma falta de respeito. Até sábado eu não aceitaria ser presidente do PTB sem a anuência do Antonio João. Mas depois de sábado, nosso rompimento está sacramentado", declarou.

Antonio João argumenta que trocou as chaves porque no último final de semana, Ivan e o secretário-geral da legenda, Walter Carneiro, iriam para o diretório regional sacramentar a formação de diretórios formados por delegados que atendesssem aos interesses dos dois.

Ivan sustentou que há meses Roberto Jefferson tinha intenção de destituir Antonio João. "Quem vinha conversando com o Roberto e tentando manter o Antonio João na presidência era eu. O Jefferson não aceitava a aproximação do Antonio João com o (ex-ministro das Relações Institucionais) Walfrido dos Mares Guia (desafeto de Jefferson). Eu era peixe pequeno meio desta briga", disse. A matéria comleta está na edição de amanhã do jornal Correio do Estado.

Leia Também