Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Antes mesmo da entressafra, preço do leite sobe 9%

14 ABR 10 - 23h:46
Carlos Henrique Braga

A aproximação do inverno já tem reflexo nos preços do leite no atacado e no varejo. Em março, o consumidor final pagou 9% mais caro no produto pasteurizado do que em fevereiro, conforme Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande (IPC/CG), da Universidade Anhanguera/Uniderp. Entre março de 2009 e 2010, o litro do leite tipo C Iporã teve alta de 8,3%, passando de R$ 1,43, em média, para R$ 1,55.
O produto lidera a lista de itens que mais influenciaram a inflação no último mês. Em 2010, a inflação acumulada do leite é de 4,73%, mais da metade da registrada em todo o ano passado (8,14%).

Varejo
Nas principais redes de supermercado da Capital, o leite tipo C, de saquinho, variava entre R$ 1,53 e R$ 1,59, no último domingo. As marcas Garotão e Imbaúba foram as únicas encontradas no Comper Rui Barbosa e na unidade 24 horas do Extra. A loja do Carrefour, no Shopping Campo Grande, deixou de vender esse tipo de leite há cerca de quatro meses, segundo repositor.
A rede francesa aposta na marca própria para oferecer preço mais baixo no segmento longa vida, de caixinha. Ao lado da marca São Gabriel, uma das mais populares entre os consumidores, o litro do leite Carrefour foi o mais barato na pesquisa do Correio do Estado: R$ 1,89 para desnatado ou integral.
Entre as mais caras estavam as marcas Parmalat (entre R$ 2,15 e R$ 2,18), Itambé (de R$ 2,09 a R$ 2,19) e Elegê (R$ 2,09). Em mercearia, no bairro Jardim Leblon, o leite São Gabriel atingiu R$ 2,35.

Atacado
O leite in natura é o que mais influencia o valor dos produtos na Jeito Frio, maior fábrica local de sorvetes. De acordo com a nutricionista responsável pela produção, Luciane Gonzalez, quanto mais próximo do inverno, mais caro o produto nos laticínios. “Até setembro os preços estarão altos. A produção de leite nessa época é menor nas fazendas por conta do desmame e da menor qualidade dos pastos”, explica. Ela contabilizou 6,25% de aumento no valor pago pela empresa no litro de leite comprado dos laticínios. “Pagamos entre R$ 0,85 e R$ 1,40. No verão os preços são bem mais baixos”,  avalia a nutricionista, que prefere não comentar números de produção da indústria.
A empresa fabrica 60 tipos de sorvete, a maioria com adição de leite in natura ou em pó. Para diferenciar-se das concorrentes, fábricas caseiras que popularizaram a venda em “copão”, a Jeito Frio optou por não usar compostos lácteos, como soro.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Polícia investiga denúncia de criança estuprada por adolescente em associação de câncer infantil
CAMPO GRANDE

Mãe denuncia que filho foi estuprado por adolescente em instituição contra o câncer

Requalificação da 14 de Julho<br> já tem 85% das obras concluídas
REVIVA CAMPO GRANDE

Requalificação da 14 já tem 85% das obras concluídas

Adélio diz que esfaqueou Bolsonaro "após ouvir voz de Deus"
PRESO EM CAMPO GRANDE

Adélio diz que esfaqueou Bolsonaro "após ouvir Deus"

O primeiro robô brasileiro <br>com Inteligência Artificial, o Tinbot,<br> vêm à Campo Grande
TECNOLOGIA

O primeiro robô brasileiro com Inteligência Artificial, o Tinbot, vêm à Campo Grande

Mais Lidas