Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAOS

Ano novo e problemas antigos na saúde em Campo Grande

Ano novo e problemas antigos na saúde em Campo Grande
08/01/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


Pacientes continuam enfrentando os mesmos problemas frequentes durante todo o ano de 2013, na rede municipal de saúde em Campo Grande. Além da demora de até sete horas para atendimento, ainda ocorre a falta de medicamentos e de material de coleta para exames, segundo reportagem na edição de hoje (08) do jornal Correio do Estado.

Até mesmo pacientes em situação de urgência pós-cirúrgica sofrem com a situação. Cristina Monteiro da Silva de Oliveira, 26 anos, esperou mais de cinco horas para conseguir trocar a sonda, que passou a usar no tratamento, após a retirada de um tumor no intestino.
“Deveriam facilitar as coisas para os pacientes”, disse a jovem, enquanto deixava a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no Bairro Coronel Antonino, na companhia da irmã Juliana, 21 anos.

A idosa Olga Monforte, 72, também criticou a demora para atendimento no município. Por volta das 12h, ela levou a irmã Ana, 65, que é surda e muda, na UPA do Bairro Universitário. Mas a mulher só foi atendida com a chegada da imprensa, depois de mais de três horas de espera. A reportagem é de Rafael Bueno.

Felpuda


Malfeitos que teriam sido praticados em tempos não tão remotos podem ser a pedra no caminho de pré-candidatura que está sendo costurada. As conversas ainda estão nas “ondas da rádio-peão”, mas, com a proximidade da campanha eleitoral, há quem diga que isso se tornará uma tremenda dor de cabeça para quem vai enfrentar as urnas. Pior:  o dito não seria culpado direto, mas sim a sua...  Bem, deixa rolar para ver onde vai parar.