Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

TIMÃO

Andrés promete técnico ainda nesta semana e diz que não pode errar mais

11 OUT 2010Por UOL ESPORTE19h:22

O presidente do Corinthians Andrés Sanchez prometeu agir rápido para suprir a saída do técnico Adílson Batista, que foi consumada após a derrota por 4 a 3 para o Atlético-GO neste domingo no Pacaembu. Ele prometeu que um novo treinador será contratado até o final da semana. Técnico da seleção brasileira nas Copas do Mundo de 1994 e 2006, Carlos Alberto Parreira é o principal alvo.

“O treinador será definido nesta semana. Não podemos errar mais e não falo isso pensando apenas no restante deste Brasileiro”, afirmou para a TV Gazeta.

Andrés teve um comportamento bastante ativo durante a partida contra o Atlético-GO. Após o Corinthians ter sofrido o quarto gol, o mandatário levantou enfurecido e foi direto para o vestiário.

Depois do fim do jogo, o presidente do Corinthians foi ao encontro dos torcedores para dialogar com eles e apaziguar os ânimos da torcida. A maioria estava revoltada por mais uma derrota no Brasileirão.

O clube já anunciou que, na quarta-feira, contra o Vasco, o auxiliar da "era Mano", Fábio Carille, comandará o time. Ele chegou ao clube no início de 2009, a pedido de Mano Menezes, e permaneceu mesmo com saída do técnico para a Seleção Brasileira. O interino tem 37 anos e foi zagueiro do próprio Corinthians, em 1995. Iniciou a carreira de treinador em 2007, no juniores do Barueri, atual Grêmio Prudente.

O presidente do Corinthians ainda não fala em nomes para a sucessão de Adílson, mas é certo que o ex-técnico da seleção brasileira Carlos Alberto Parreira surge como favorito para suceder Adílson Batista. Segundo o Blog do Perrone, a cúpula corintiana queria contar com ele para coordenador técnico em 2011, mas o convite deverá mudar para que ele comande o time já neste ano. Paulo Autuori e Abel Braga correm por fora.

O Blog do Quartarollo afirma que o técnico do tetra já teria dito não, alegando problemas particulares. Os dirigentes corintianos, no entanto, estariam dispostos a insistir com o treinador, afastado dos campos desde a Copa do Mundo - em que ele comandou a África do Sul.

Ainda segundo Perrone, a relação entre Adílson Batista e Corinthians nunca foi das melhores. Cinco fatos levaram ao fim da parceria: a queda de braço entre o treinador e o responsável na diretoria por reforços, reclamações com a demora no retorno de Ronaldo à equipe, o fantasma da contratação de Carlos Alberto Parreira, a relação próxima entre a principal torcida organizada do time e a direção e a insistência do treinador com Tiago Heleno.

Além disso, vários reforços pedidos pelo treinador não chegaram. Dois deles, o atacante Guilherme, ex-Cruzeiro e no Dynamo de Kiev, e o meia Miralles, do Colo-Colo, foram considerados caros.
 

Leia Também