Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

TRANSIÇÃO

André não pretende ampliar espaço para aliados no governo

17 NOV 2010Por Lidiane Kober03h:45

O governador André Puccinelli (PMDB) não deve ampliar o espaço dos partidos aliados em seu segundo mandato e a tendência é manter praticamente a mesma equipe a partir de 2011. Algumas legendas estão interessadas em mudar seus representantes nas pastas. Ontem, Puccinelli sinalizou a possibilidade de atender o apelo dos aliados, no entanto, reforçou que as mudanças devem ser poucas.

"Podem ser nomes novos em pastas novas", disse o governador após a solenidade de entrega da licença prévia ambiental para a instalação da fábrica de fertilizantes da Petrobras, em Três Lagoas. "Mas praticamente tudo deve continuar a mesma coisa", acrescentou.

No período pré-eleitoral, antes de confirmar apoio à reeleição de Puccinelli, partidos como o PSDB, PR e PTB chegaram a condicionar a continuidade da parceria a mais espaço na administração estadual. "Depois das eleições, o tamanho dos aliados continua o mesmo, portanto, com a mesma importância", afirmou o governador, afastando de vez a possibilidade de ampliar o espaço das legendas em seu próximo mandato.

Hoje, no primeiro escalão do governo, só o PSDB e o PR têm representantes. É o caso da secretária de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias (PSDB) e do secretário de Obras, Edson Giroto, eleito deputados federal. Contudo, eles, da mesma forma como a maioria dos secretários, faz parte da cota pessoal do governador, que o acompanha desde 1996, quando administrou a Prefeitura de Campo Grande.

Enquadram-se na lista os comandantes das mais importantes e estratégicas pastas, como os secretários de Governo, Osmar Domingues Jeronymo; de Fazenda, Mário Sérgio Lorenzetto; de Administração, Thie Higuchi Viegas dos Santos; de Educação, Maria Nilene Badeca da Costa; de Saúde, Beatriz Figueiredo Dobashi; de Habitação, Carlos Marun; de Trabalho e Assistência Social, Tania Mara Garib e de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini.

 Marun e Giroto
Ainda logo depois das eleições, Puccinelli chegou a cogitar mudanças nas secretarias de Obras e Habitação, comandadas, respectivamente, por Giroto e Marun. Giroto foi eleito, com votação recorde, deputado federal, e Marun deputado estadual. Para o governador, os dois deveriam atuar, pelo menos dois anos, nos cargos para os quais foram eleitos.

Ontem, no entanto, ele frisou que praticamente não devem ocorrer mudanças no secretariado. "Tudo deve continuar a mesma coisa", disse.

Leia Também