Sexta, 19 de Janeiro de 2018

André lava as mãos sobre escolha de vice de Nelsinho

30 MAI 2008Por 23h:06
     

Lívia Ferreira

 

O governador André Puccinelli (PMDB) lavou as mãos em relação à composição da chapa majoritária do prefeito de Campo Grande e pré-candidato à reeleição, Nelsinho Trad (PMDB). Mas prevê que seu correligionário poderá ter pela frente uma eleição mais difícil se optar pela chapa pura ao manter o presidente da Câmara de Vereadores da Capital, o peemedebista Edil Albuquerque, como pré-candidato a vice. "O prefeito é que vai salvar a pele dele sendo candidato. Ele acha que está fazendo o melhor. Eu tenho uma posição diversa", disse o governador ontem à tarde, depois da assinatura de convênio do Programa Energia Extra na Expo-MS Industrial, em Campo Grande (veja mais na página 06 A).

 

O governador, que na noite de anteontem se reuniu com o presidente regional do PDT, deputado estadual Ary Rigo, e com o deputado federal pedetista Dagoberto Nogueira, negou que tenha avalizado a pré-candidatura deste último a prefeito da Capital. "Não avalizei. Não avalizei. O Rigo e o Dagoberto vieram reclamar que tinham um acordo do prefeito de Campo Grande feito por ele, que preferia ter o Dagoberto como vice. Ele (Nelsinho) disse que reavaliou a situação, transmitiu antes da minha vinda aqui, e disse que o André não teve participação alguma na questão. O que nós dissemos é que não tínhamos como reconsiderar a questão, uma vez que nós havíamos dado autonomia total ao prefeito", afirmou.

Leia Também