terça, 17 de julho de 2018

UFC 126

Anderson Silva arrasa Vitor Belfort

6 FEV 2011Por FERNANDO ZANCHETTA, YAHOO!08h:08

Na luta do século realizada ontem no UFC 126 ,em Las Vegas (EUA), muitos vão dizer que o melhor da festa foi esperar por ela. Mas o talento de Anderson ‘The Spider’ Silva novamente foi o diferencial para nocautear Vitor ‘The Phenom’ Belfort em pouco mais de três minutos, manter o cinturão dos pesos médios (até 84kg) pela oitava vez e reforçar a reputação como um dos lutadores mais eficientes do mundo.

Na prática, o estudo foi predominante durante o primeiro round. Belfort segurou o ímpeto tradicional de partir para cima dos oponentes desde o começo. E pagou o preço por isso. Após quase dois minutos de espera, esboçou apenas chutes leves, socos e uma queda que derrubou o campeão. Anderson sorriu e voltou em pé. Na primeira vez que se lançou ao ataque pra valer, o Aranha aplicou chute frontal certeiro no queixo de Vitor, que caiu desnorteado. Silva continuou o castigo no chão com socos que obrigaram o juiz interromper a luta e decretar o nocaute técnico.

Após a sonora vitória (13ª consecutiva no Ultimate), Silva mostrou respeito ao compatriota e fez questão de amenizar a guerra de nervos declarada um dia antes na pesagem oficial, repleta de xingamentos e provocações. “Tudo faz parte do espetáculo. Vitor merece o respeito de todos aqui. Sou grato pela oportunidade de lutar com ele, que também é um grande campeão”, afirmou.

Sobre o golpe letal que liquidou a fatura, Anderson deu crédito para o ator e lutador Steven Seagal, amigo pessoal e que tem o acompanhado nos últimos combates. “Mestre Seagal que me ensinou o chute. Treinamos muito este movimento nos últimos meses”, explicou.

Outras lutas

Ryan Bader e Jon Jones protagonizaram combate movimentado nos meio-pesados (até 93kg). Com timing apurado, Jones partiu para cima, conseguiu boa queda e encaixou estrangulamento que por pouco não terminou o desafio. Bader limitava-se a se defender. Nos assaltos seguintes, Jon aos poucos aumentou o volume de golpes em pé até derrubar novamente e finalizar o exausto oponente com uma guilhotina.

O resultado imediatamente credenciou o vencedor para substituir o então desafiante Rashad Evans (contundido) e enfrentar o campeão da categoria, o brasileiro Maurício ‘Shogun’ Rua no UFC 128, dia 19 de março.

Forrest Griffin partiu para cima de Rich Franklin desde os primeiros segundos e mostrou boa versatilidade no desafio entre ex-campeões. No primeiro assalto, apostou no ground and pound (ataques com o adversário caído). No seguinte, aplicou socos e chutes certeiros. Franklin esboçou certa reação no terceiro, mas não foi suficiente e teve de engolir a derrota por pontos.
Carlos Eduardo ‘Tá Danado’ Rocha foi o primeiro brasileiro a entrar em ação. Contra o norte-americano Jake Ellenberger, logo colocou o adversário para baixo e fez valer a bagagem sólida no jiu-jitsu. Aos poucos, conseguiu posições de vantagem no chão e terminou a etapa com chave de braço encaixada, mas bem defendida por Ellenberger.

No segundo round, Rocha foi para a troca de golpes e o ímpeto inicial logo se transformou em cansaço. Sem conseguir manter a estratégia de levar para o solo, o assalto se tornou monótono. Pouca coisa mudou na última etapa e o equilíbrio prevaleceu. No fim, os juízes deram a vitória na decisão dividida para Ellenberger. O resultado acabou com a invencibilidade de nove lutas de ‘Tá Danado’.

Card Principal

Miguel Torres venceu Antonio Banuelos na decisão unânime
Jake Ellenberger venceu Carlos ‘Tá Danado’ Rocha na decisão dividida
Jon Joes finalizou Ryan Bader
Forrest Griffin venceu Rich Franklin na decisão unânime
Anderson Silva nocauteou Vitor Belfort

Card Preliminar

Donald Cerrone finalizou Paul Kelly no segundo round
Chad Mendes venceu Michihiro Omigawa na decisão unânime
Demetrious Johnson venceu Norifumi Yamamoto na decisão unânime
Paul Taylor venceu Gabe Ruediger por nocaute
Kyle Kingsbury venceu Ricardo Romero por nocaute
Mike Pierce venceu Kenny Robertson por nocaute técnico

Leia Também