Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SIDROLÂNDIA

Alunos ocupam prefeitura por transporte gratuito

Alunos ocupam prefeitura por transporte gratuito
31/01/2014 16:30 - DA REDAÇÃO


Um grupo de 100 estudantes, da zona rural e de aldeias indígenas, invadiu o Paço Municipal de Sidrolândia (MS), na tarde de hoje (31), para cobrar a manutenção do transporte universitário, desde os assentamentos e das aldeias, não apenas a partir da Praça Central Porfirio de Brito, conforme propôs a recém-criada União dos Estudantes de Sidrolândia. Depois do clima ficar tenso, o prefeito Ari Basso anunciou que irá garantir o transporte da zona rural até o centro da cidade, sem nenhuma cobrança, com a utilização da frota de ônibus escolares. 

Resolvida a primeira etapa do impasse, o prefeito deve chamar a diretoria da União dos Estudantes para garantir a inclusão dos alunos (incluindo os não cadastrados na entidade) no transporte até Campo Grande e Maracaju. O cadastro terminou ontem (30) e aproximadamente 700 alunos se inscreveram. Boa parte dos acadêmicos não quis se cadastrar por não concordar com a cobrança da taxa de adesão de R$ 25, além de não ter a garantia do transporte. A subvenção de R$ 77 mil prometida pela prefeitura, na avaliação da direção da instituição, será para custear parte do transporte a partir da Praça Porfirio de Brito, comunicado que revoltou que alunos das aldeias e assentamentos.

Antes do acordo, houve tumulto e uma guarnição da Polícia Militar foi chamada depois que alguns manifestantes ameaçaram arrombar a porta do gabinete do prefeito. A União dos Estudantes foi acusada de discriminar os acadêmicos e só atender quem mora na cidade. Segundo o site Região News, o estopim para a mobilização foi um impresso da UES, se eximindo de responsabilidade pelo transporte dos estudantes da zona rural até a cidade Os manifestantes chegaram à prefeitura por volta das 13h30min para serem recebidos em audiência. No grupo, vários indígenas estavam caracterizados de guerreiros, com o corpo pintado e usando cocares.  

(Com informações do Região News)

Felpuda


O desgaste de antigas lideranças nacionais, com reflexo em nível local, é a maior preocupação dos dirigentes de partidos para as eleições deste ano, que terá reflexo em 2022. Em épocas passadas, essas figurinhas cruzavam os céus do País para visitarem os municípios e pedirem que a população votasse em seus ungidos. Agora, com pendências judiciais e poder enfraquecido, dificilmente seriam convidadas. A pandemia, que resultou no isolamento social, foi a pá de cal.