Terça, 16 de Janeiro de 2018

Aluguel de útero é negociado por até R$ 120 mil na internet

22 MAR 2009Por 07h:30

        Um mercado clandestino, virtual e muito rentável avança na internet fora do alcance da lei. Online, mulheres negociam o aluguel do útero em fóruns e comunidades para quem não pode ter filhos. Os valores dos contratos de gestação chegam a R$ 120 mil e são fechados por e-mail; os encontros são marcados por telefone.

 

Nos diálogos virtuais, os anúncios prometem sigilo absoluto e oferecem facilidades como o parcelamento do aluguel da barriga em até três vezes: a primeira parcela na confirmação da gravidez, a segunda no quinto mês de gestação, quando normalmente a contratada mostra ultrassonografias do bebê, e a última na entrega do neném. Há candidatas a mães de aluguel que aceitam até ter relações sexuais para engravidar de pessoas estranhas, sem ter que recorrer a clínicas de fertilização.

 

Não há estatísticas oficiais, mas sites de relacionamento chegam a reunir centenas de pessoas. Em apenas um fórum existem oito tópicos com mais de 800 mensagens. Durante quatro meses, uma equipe do jornal O Dia monitorou as transações online. Neste período, foram realizados encontros com algumas dessas mulheres dispostas a gerar um filho por dinheiro. O primeiro deles foi num shopping na zona oeste do Rio de Janeiro.

 

As informações são do O Dia Online

Leia Também