ANEFAC

Alta na Selic deixa carro<BR>R$201 mais caro

Alta na Selic deixa carro<BR>R$201 mais caro
25/02/2014 10:23 - dgabc.com.br


Nesta semana, o Copom (Comitê de Política Monetária) do BC (Banco Central) decide como ficará a taxa básica de juros nacional, a Selic, nos próximos 45 dias. Atualmente, ela está em 10,5% ao ano. Mas, pelas previsões do mercado financeiro, passará para 10,75% na quarta-feira. Desta maneira, um financiamento de veículo de R$ 25 mil, parcelado em 60 meses sem entrada, ficaria R$ 201,19 mais caro. No fim das contas, o valor saltaria de R$ 39.974 para R$ 40.176.

A simulação da operação é da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade). De acordo com a entidade, a taxa média de juros de um CDC (Crédito Direto ao Consumidor) para a compra de veículo passará de 1,69% para 1,71% ao mês.

Esse incremento é previsto porque a Selic é uma espécie de piso das operações de crédito. As instituições financeiras acompanham suas variações em suas linhas de empréstimos.

Porém, o responsável pela simulação, Miguel José Ribeiro de Oliveira, que é diretor executivo de estudos e pesquisas econômicas da Anefac, o atual cenário de competição entre os bancos pelos clientes de crédito pode fazer com que algumas instituições acabem absorvendo a elevação da taxa básica nacional.

ELEVAÇÃO - A previsão do mercado financeiro, apresentada pelo boletim Focus, do BC, mostrou nesta semana que a Selic deverá subir para 10,75%. No entanto, até a semana anterior, as estimativas dos analistas e economistas das instituições financeiras e empresas não financeiras era de que a Selic chegaria aos 11% nesta reunião do Copom, que divulga o resultado na quarta-feira.

Caso atinja esse maior patamar, o acréscimo em um financiamento de um veículos de R$ 25 mil, em 60 parcelas sem entrada, será de R$ 402,91. O preço total saltaria de R$ 39.974 para R$ 40.377.

GERAL - Seguindo a previsão do mercado financeiro, de que a Selic passará de 10,5% para 10,75% ao ano, a Anefac prevê que os juros do comércio subam de 4,35% para 4,37% ao mês. No caso do cartão de crédito, a expectativa é de incremento de 9,37% para 9,39% ao mês e, no cheque especial, de 8,03% para 8,05% ao mês. Os empréstimos pessoais dos bancos ficariam 0,02 ponto percentual mais caros, de 3,26% para 3,28% ao mês.

HISTÓRICO - Caso os diretores do BC decidam por elevar a taxa básica de juros, será o seu oitavo aumento consecutivo desde março do ano passado. Nesta época, o governo federal começou a se mostrar preocupado com o avanço da inflação do País. E, com a expansão das taxas de juros, é esperado desaquecimento da demanda por empréstimos, o que impactaria no consumo que, reduzido geraria, uma desaceleração no avanço dos preços.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".