Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

Alta da soja ameaça expansão em áreas desmatadas

22 JUN 2008Por 10h:30
     Os resultados positivos dos dois primeiros anos da moratória da soja, compromisso assinado por compradores de não comercializar grãos produzidos em áreas de novos desmatamentos na Amazônia, podem não se repetir no período de prorrogação do compromisso, assinada essa semana por representantes do governo, organizações não-governamentais e indústrias.

De acordo com o Grupo de Trabalho da Soja, que reúne representantes da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) e do Greenpeace, por exemplo, nos dois primeiros anos da moratória, em nenhum dos 193 polígonos de novos desmatamentos na Amazônia houve cultivo de soja.

No entanto, a situação pode mudar até a próxima safra, influenciada pelo aumento do preço do grão no mercado internacional, o que eleva o interesse dos produtores, e passada a ?domesticação? da terra, período de transição (com plantio de outras culturas, por exemplo) para que o solo seja cultivável para a soja.

Leia Também