VÔLEI DE PRAIA

Alison e Emanuel falham e levam prata em Londres

Alison e Emanuel falham e levam prata em Londres
09/08/2012 17:48 - Terra


Em duelo que colocou frente a frente as duas últimas duplas campeãs mundiais do vôlei de praia masculino, pela decisão da modalidade nos Jogos Olímpicos de Londres, realizada nesta quinta-feira no Horse Guards Parade, os brasileiros Emanuel e Alison foram derrotados pelos alemães Julius Brink e Jonas Reckermann por 2 sets a 1, com parciais de 23/21, 16/21 e 16/14. Com isso, os atletas do Brasil deixam a Olimpíada de 2011 somando mais uma condecoração ao País: a medalha de prata.

Essa é a terceira medalha olímpica da carreira de Emanuel, que faturou o ouro na edição de 2004, em Atenas, ao lado de Ricardo, e ficou com a prata nos Jogos de Pequim em 2008, também ao lado de Ricardo, que em Londres sucumbiu nas quartas de final ao lado de Pedro Cunha. Já o Brasil fica com sua quinta medalha na modalidade, já que José Marco e Ricardo levaram a prata em 2000, enquanto Márcio e Fábio também foram vice-campeões há quatro anos.

O confronto decisivo desta quinta era extremamente aguardado em Londres porque confrontava as duas melhores duplas da modalidade do planeta. Enquanto Alison e Emanuel venceram o Mundial de Roma, em 2011, Julius Brink e Jonas Reckermann faturaram a competição em 2009, em torneio disputado em Stavanger, na Noruega - na ocasião, curiosamente Alison fez dupla com Harley e foi derrotado na decisão.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".