sexta, 20 de julho de 2018

mais caros

Alimentos impulsionam “inflação da 3ª idade”

15 JAN 2011Por Alessandra Saraiva (AE)00h:00

Alimentos mais caros provocaram um salto na inflação sentida pelos idosos em 2010. É o que mostrou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) ao anunciar o Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i), que subiu 6,27% no ano passado, após avançar 4,09% em 2009. Somente no quarto trimestre de 2010, o indicador subiu 2,46%, bem acima da alta de 0,05% apurada pelo indicador no terceiro trimestre de 2010.

O índice pode prosseguir em alta em 2011, devido às expectativas de uma continuidade nas elevações nos preços dos alimentos, no início deste ano. O indicador representa o cenário de preços sentido em famílias com pelo menos 50% dos indivíduos de 60 anos ou mais de idade, e renda mensal entre um e 33 salários mínimos.

Os resultados do IPC-3i superaram aos apurados, nos mesmos períodos, pelo Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que mede a inflação em todas as faixas etárias. A inflação medida pelo IPC-BR subiu 3,95% em 2009; avançou 6,24% em 2010; e teve alta de 2,33% no quarto trimestre do ano passado.

Os alimentos respondem, historicamente, por um terço da inflação sentida pelo bolso dos idosos, no âmbito do IPC-3i. Porém, somente no quarto trimestre do ano passado, quando subiram 5,15%, os alimentos foram responsáveis por dois terços da inflação sentida pelos idosos no período.

Leia Também