Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

CORUMBÁ

Alimentos impróprios são destruídos

7 DEZ 2010Por DIÁRIO ONLINE13h:45

Cerca de um mil e quinhentos quilos de produtos de origem animal e laticínios em condições impróprias para o consumo, foram destruídos na manhã desta terça-feira, 07 de dezembro, pela Vigilância Sanitária de Corumbá. Os produtos são de  três grandes apreensões realizadas durante fiscalização em ação conjunta do órgão com o Ministério Público Estadual, a Procuradoria Geral da República e o Procon.

O alvo da ação foram caminhões refrigerados que fazem o transporte desses tipos de produtos das fábricas e distribuidoras para estabelecimentos comerciais do município. Segundo Hélvio de Barros Junqueira, chefe do setor de Vigilância Sanitária, a fiscalização nos veículos é um desdobramento de ação similar anterior realizada em locais que vendem os produtos na cidade.

"Alguns empresários investiram um valor considerável na sua estrutura física respeitando a temperatura do alimento e agora a reclamação deles é que esses veículos que trazem essas mercadorias até Corumbá estão em desacordo com a legislação sanitária e por isso é que foram feitas essas apreensões", comentou.

A mais recente apreensão foi realizada na tarde de segunda-feira, 06 de dezembro, e incluía iogurtes, linguiça e cortes de frango. "Por exemplo, nesse veículo que fizemos a apreensão, o thermo king (equipamento responsável por controlar a refrigeração) estava quebrado, isso é um crime contra a saúde pública. Os iogurtes deveriam estar até 10 graus, mas dentro do caminhão estavam a 17 graus. O frango estava com consistência macia ao invés de dura do congelamento exigido", descreveu Hélvio.

Os alimentos de origem animal, entre eles, espinhaço de porco, linguiças, queijos, salsichas e frango foram incinerados na caldeira de um frigorífico da região. Já os iogurtes foram levados para o lixão onde foram destruídos. De acordo com Hélvio Junqueira, o acondicionamento inadequado desses produtos pode alterar seus valores nutricionais como também torná-los um meio para a proliferação de micro-organismos nocivos à saúde.

As empresas que tiveram seus produtos apreendidos, também foram notificadas e receberam ainda um auto de infração expedido pela Vigilância Sanitária. "Elas receberam o auto e têm o direito a defesa. O que estão alegando é que como fazem várias entregas em Corumbá, há muito 'abre e fecha' dos caminhões e nisso a temperatura sobe, mas isso não é justificável, pois se o termo king estiver funcionando, ele vai balancear a temperatura", rebateu Hélvio Junqueira.

Com relação à fiscalização, ele orienta a população que uma das exigências é a presença do termômetro em local visível para o controle da temperatura, além disso deve ficar sempre atento aos prazos de validade. "O consumidor nada mais é do que um fiscal da vigilância sanitária", afirmou ao deixar o telefone da Vigilância Sanitária para denúncias: (67) 3231-0178. A fiscalização em caminhões frigoríficos vai continuar.

Leia Também