Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CLIMA SECO

Alimentos apresentam fortes altas

Alimentos apresentam fortes altas
07/02/2014 14:15 - FOLHA PRESS


Apesar da freada da inflação em janeiro, os alimentos praticamente não mostraram desaceleração e são um foco de novos possíveis aumentos diante do clima seco e quente ao menos nas duas próximas semanas.

Esse cenário que perdura nos mais importantes centros consumidores, como Rio e São Paulo, levou a fortes altas de produtos como cenoura (20,72%), cebola (16,11%), hortaliça e verdura (6,01%).

Para Eulina Nunes dos Santos, coordenadora do IBGE, o clima pressionou os alimentos, inclusive as carnes e criou uma "entressafra" atípica para os bovinos.

Com a estiagem, o pasto secou e o gado também come menos com o calor em excessivo. Resultado: alta de 3,07% das carnes, item de maior peso no grupo alimentação cuja alta de janeiro de 0,84% quase igualou o 0,89% de dezembro.

O dólar mais alto também puxou os preços das rações animais outro foco de pressão para as carnes e de produtos cotados na moeda americana, como trigo e milho.
Nessa esteira do câmbio, subiram itens como pão francês (1,01%), biscoito (1,15%) e ovos (1,60%).

Principal responsável pelo recuo do IPCA em janeiro 0,55, contra 0,92%o grupo transportes pode vir pressionado pelos novos aumentos do etanol diante da entressafra da cana e do reajuste de passagens de ônibus em algumas capitais, como o Rio, que já reajustou a tarifa.

Outro grupo que tende a acelerar é o de educação, pois os aumentos das mensalidades escolares se concentram em fevereiro.

O grupo teve alta de 0,57% em janeiro devido ao aumento dos colégios em Porto Alegre, onde as escolas se antecipam e corrigem as mensalidades em dezembro. 

Felpuda


As várias e várias mensagens que vêm sendo trocadas em grupos fechados, e para poucos, são de que algumas alianças poderão acontecer, mas mediante a troca de comando em alguns órgãos importantes. Seriam entendimentos para atender siglas de matizes bem diversos que vêm tentando criar dificuldades para vender facilidades. Se as negociações forem concretizadas, tornarão os caminhos sem muitas barreiras. A conferir.