Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

QUEDA

Aliados culpam Alcides Bernal pela cassação

Aliados culpam Alcides Bernal pela cassação
18/03/2014 00:00 - JÉSSICA BENITEZ


Aliados do ex-prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), durante segundo turno das eleições de 2012, integrantes do PT e PSDB acreditam que o progressista foi cassado por ser centralizador, não ceder espaços aos partidos, nomear equipe sem experiência e cometer irregularidades enquanto administrador do Município. Durante agenda pública na manhã de ontem (17), o senador Delcídio do Amaral (PT), bem como o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB), expuseram à imprensa suas opiniões sobre a queda do então chefe do Executivo.

No avaliação do petista, Bernal quis governar sozinho e quando teve oportunidade de ampliar base aliada não teve atitude o suficiente para conseguir manter a maioria. “Quando veio a primeira tentativa de impeachment, que foi em dezembro, o Alcides rompeu o ano com pelos menos 12 vereadores, podendo chegar a 15, portanto poderia entrar (em 2014) com maioria simples. Mas na política você tem que agir”, disse Delcídio.

“Ele ganhou a eleição sozinho, não precisou de ninguém para ganhar, mas ninguém governa sozinho, os que ganharam sozinhos e quiseram governar sozinhos nunca acabaram bem, faltou atitude” completou. Agora com a nova administração do prefeito Gilmar Olarte (PP), Delcídio acredita que as coisas devem melhorar, uma vez que o progressista já está em diálogo com grande parte dos partidos. “Gilmar está fazendo movimentos corretos, chamando todo mundo para conversar. É assim, é dialogar para construir pontes necessárias para fazer boa gestão. Eu faço mandato republicano e ajudo mesmo prefeito que não me apoiou, tenho compromisso com população. Estamos à disposição para ajudar”, explicou.

O PT foi um dos únicos partidos que ficou ao lado de Bernal até a queda do ex-prefeito.

Delcício, que é pré-candidato ao governo do Estado, afirmou não saber se ter o apoiado poderá prejudicá-lo na tentativa de se tornar governador. Para ele “só o tempo” é capaz de medir se haverá respingos negativos na candidatura. Mas ressalta que o partido agiu certo, pois ficou na base aliada até o último momento porque na esfera política deve ser assim “ser coerente, ter lado mesmo que não seja para ganhar”.

Na opinião de Azambuja, a cassação de Bernal nada mais é do que o reflexo da tentativa de administrar uma capital sozinho. “Porque administrar é compor com partidos, montar equipe competente que dê conta de fazer as coisas certas, eu acho que o Alcides fez tudo errado”, afirmou.

Felpuda


Partido está aos poucos montando a que vem sendo chamada de “chapa do quartel”, pois os pré-candidatos são oriundos da caserna. Há quem diga que os dirigentes da legenda ainda estão querendo pegar carona no “fenômeno Bolsonaro”, esquecendo-se que o presidente, embora vindo da área militar, está na política há 30 anos e o seu programa de governo agradou 57,7 milhões de eleitores. Dizem que tchurminha será obrigada a adicionar mais ingredientes no currículo, senão...