Domingo, 17 de Junho de 2018

Alexandre e Anna Jatobá querem que Justiça ouça filho

19 JUN 2008Por 10h:56
     
        
        O pai e a madrasta da garota Isabella de Oliveira Nardoni, morta na noite de 29 de março, após ser atirada da janela do 6º andar de um edifício na zona norte de São Paulo, querem que a Justiça tome o depoimento de seu filho mais velho: Pietro, de apenas quatro anos. O pedido de Anna Jatobá e Alexandre Nardoni foi feito na quarta-feira, após o depoimento do síndico do Edifício London, Antonio Lúcio Teixeira, ao promotor Francisco Cembranelli, que acusa o casal de ter assassinado a menina.
        
        O síndico disse que foi procurado por um morador do prédio, chamado Jefferson, que diz ter conversado com o garoto, minutos após o crime. O morador teria perguntado se alguém havia entrado no apartamento, e a criança disse: "Não, não, não". Questionado sobre o que havia acontecido com sua irmã, Pietro teria ficado ofegante e soluçado. "Quero que o Pietro seja ouvido", teria dito Anna Jatobá a Alexandre, neste momento.
        
        O promotor, que só tomou conhecimento do episódio na quarta, informou que fez um requerimento ao juiz para que esse morador também seja ouvido. Mas ele descartou, por enquanto, ouvir Pietro. Na quarta-feira, oito testemunhas de acusação foram ouvidas por Cembranelli. A família de Alexandre Nardoni tinha medo de deixar Isabella sozinha com a madrasta, Anna Carolina Jatobá. Segundo Ana Carolina Oliveira, mãe da menina, era comum que a irmã e a mãe de Alexandre dormissem no apartamento do casal, para garantir a segurança da criança. Os motivos eram o excessivo ciúme da madrasta em relação à mãe e as discussões do casal.
        
        Com informações da Agência Estado
        

Leia Também