Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CUIDE-SE

Além de água, corpo é hidratado com fruta e verdura no calor

Além de água, corpo é hidratado com fruta e verdura no calor
24/01/2014 00:00 - Terra


Em função da eliminação de líquidos provocada pelo calor típico desta época do ano, o corpo necessita que, diariamente, sejam consumidos dois litros de água para que ele mantenha funções importantes como filtração renal, eliminação das toxinas da alimentação e hidratação da pele e cabelo em pleno funcionamento. Para cumprir a tarefa, ao contrário do que muita gente pensa, não é preciso carregar uma garrafinha para todo lado, pois frutas e verduras colaboram para manter o nível ideal de líquido no organismo.

Consumidos normalmente na dieta, ao longo do dia, mantimentos como melancia, alface e feijão repõem a água perdida para o meio externo, principalmente em decorrência do suor. “A associação da ingestão de alimentos com alto teor de água na composição com a ingestão de líquidos, como água, chás e sucos, é que mantém a temperatura do corpo humano sob controle”, diz Marisa Resende Coutinho, nutricionista do Hospital São Camilo, em São Paulo.

Representando cerca de 60% do peso corporal, a água é ingerida em quantidade distinta entre as pessoas. Um cálculo simples é beber entre 35 e 40 ml por cada quilo do peso atual do indivíduo. Portanto, se considerarmos um jovem saudável de 75 kg, a sua necessidade hídrica é de três litros por dia. “Cerca de um terço desse líquido estará presente nos alimentos ingeridos, aproximadamente 300 ml será gerado por meio da oxidação dos alimentos no organismo. Assim, a ingestão faltante é de 1,7 litros de água por dia”, explica a especialista.

Felpuda


Acontecimentos policiais de grande repercussão deverão refletir seriamente na jornada de uns e de outros. Os cortes nos “tentáculos do polvo” os deixaram sem respaldo para enfrentar a maratona que há tempos participam, e com sucesso. Ao mesmo tempo que ficaram sem o aconchego financeiro, afastaram-se do abraço, até então muito amigo, preocupados com o ditado popular que afirma:  “Diga-me com quem andas e eu te direi quem és”.