Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Alckmin afasta funcionário por venda de dados sigilosos

1 MAR 11 - 11h:45Folha

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afastou nesta terça-feira o sociólogo Túlio Kahn. O sociólogo é acusado de vender serviços de consultoria nos quais colocava à disposição de empresas dados sigilosos sobre a violência no Estado.

Desde 2003 Kahn era coordenador da CAP (Coordenadoria de Análise e Planejamento), o órgão que concentra todas as informações estatísticas sobre violência no da da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo. Já atravessava três governos na função. Quem tinha nomeado-o para o cargo foi o secretário Saulo de Castro, no governo de Geraldo Alckmin (2003-2006).

Entre outros dados sigilosos, Kahn já forneceu, por exemplo, informações como furtos a transeuntes na região metropolitana de Campinas e os bens que são levados com mais frequência nos roubos a condomínios na cidade de São Paulo.

O levantamento sobre roubo a condomínios foi feito a pedido do Secovi (sindicato das empresas imobiliárias de São Paulo) e pago pela GR, uma das maiores empresas de segurança do Estado, segundo o próprio Kahn. A GR nega ter feito pagamentos à Angra.
Kahn afirma que jamais violou dados da secretaria. Segundo Kahn, foi o próprio Estado que sugeriu que ele abrisse uma empresa para cobrar por certos projetos, pois seu salário era baixo.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta terça-feira: "O outro lado da fronteira"

ARTIGO

Thiago Gomes da Silva: "A quem a cota zero não interessa"

Jornalista e advogado
OPINIÃO

Joel Mesquisa: "O Brasil de hoje"

Sociólogo

Felpuda

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião