Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

DIA DAS CRIANÇAS

Ainda vai comprar o presente? Evite dívidas

9 OUT 2010Por Infomoney14h:28

O Dia das Crianças já está aí. Mas há muitos pais que ainda não escolheram os presentes dos pequenos e aproveitarão o final de semana para comprá-los. Além de enfrentar lojas lotadas, esses consumidores também correm o risco de pagar mais caro pelo presente.

Nessa hora, a chance de se endividar é muito grande. Para evitar que a compra do presente se torne um débito sem tamanho, o Idec (Instituto Defesa do Consumidor) dá dicas para os consumidores de como efetuar uma compra consciente.

Fique atento às modalidades de crédito
A primeira regra é tentar dar preferência pelo pagamento à vista. Nesses casos, não abra mão da pechincha. Pedir desconto descompromissadamente pode acabar sendo um bom negócio.

Se o orçamento não permitir pagamentos à vista, utilize o cartão de crédito de forma consciente. Não faça parcelamentos de longo prazo. E na hora de pagar a fatura, tente não cair na tentação de pagar apenas o mínimo. Os juros podem fazer uma compra pequena virar uma dívida impagável.

Antes de pagar pelo presente, leve em consideração todas as compras que você já fez no cartão. Não some apenas as parcelas. Na conta, devem ser considerados os valores totais das compras feitas com a moeda de plástico.

O Idec recomenda aos consumidores ficar atentos quanto aos preços cobrados no pagamento à vista e naquele feito com o cartão. “O preço para o pagamento com cartão deve ser o mesmo do preço à vista”, afirma a entidade.

Compras a prazo por meio de crediário (boleto, carnê) devem ser feitas com cuidado. Os prazos e as taxas de juros variam de acordo com as instituições financeiras que operam com o estabelecimento. Fique atento a todas as condições dessa forma de pagamento antes de passar no caixa.

Evite utilizar o cheque especial para comprar o presente ou fazer qualquer coisa. Esse limite concedido pelo banco deve ser usado com parcimônia e apenas em casos de emergência. “A taxa de juros é muito alta e chega a ser superior à inflação estipulada”, aconselha o Idec.

Fique atento na hora de utilizar o cheque pré-datado. Embora muito utilizada, essa forma de pagamento não é reconhecida pelo Banco Central.

Para comprar o presente dos sonhos dos filhos, muitos consumidores recorrem ao empréstimo pessoal. Embora tenha juros baixos, se comparados àqueles praticados no cheque especial e cartão de crédito, o crédito pessoal não deixa de ser uma dívida.

Para o gerente de informação do Idec, Carlos Thadeu de Oliveira, o ideal mesmo é fugir dos financiamentos. Para ele, comprometer-se com o pagamento de um bem por um período longo é sempre arriscado, pois imprevistos acontecem. “Pechinchar e fazer pesquisas de mercado sempre são as melhores saídas”, afirma.
 

Leia Também