ESPORTES

Águia Negra e Cene lideram o Estadual

Águia Negra e Cene lideram o Estadual
19/03/2010 06:19 -


Com a realização, na última quarta-feira, de três jogos atrasados das rodadas iniciais do Campeonato Estadual, em virtude da participação de Ivinhema e Naviraiense na Copa do Brasil, a primeira fase da competição definiu os “simbólicos campeões”, dos grupos A e B, mesmo faltando um confronto a ser disputado entre Naviraiense e Corumbaense, que ainda não tem data para acontecer. No grupo A o Águia Negra, com 19 pontos, garantiu a primeira colocação ao empatar com o Naviraiense (1 a 1), que atualmente ocupa a terceira colocação com 15, mas tem uma partida a menos e pode de chegar aos 18. Itaporã e Corumbaense estão em segundo e quarto, respectivamente. Por sua vez o grupo B já teve todas suas partidas da primeira fase realizadas. O Cene foi o melhor do turno com 17 pontos em oito jogos. O Comercial, mesmo invicto, terminou em segundo com 16. Os outros dois na zona de classificação a próxima fase são Chapadão e Rio Verde. Já na parte de baixo da tabela, se a competição terminasse hoje, pelo grupo A Pantanal de Ladário e Guaicuros de Campo Grande seriam os rebaixados e pelo grupo B Misto de Três Lagoas e União da Capital jogariam, em 2011, a Série B do Estadual. O artilheiro do campeonato é o atacante Cristiano, do Naviraiense, que marcou sete gols em sete partidas e segue com a média de um gol por jogo
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".