quarta, 18 de julho de 2018

economia

Agropecuária lidera geração de postos de trabalho em MS

2 MAR 2011Por da assessoria16h:51

O setor agropecuário foi o que mais contribuiu com a geração de empregos formais em Mato Grosso do Sul no mês de janeiro. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), dos 3.568 postos de trabalho com carteira assinada criados no Estado em janeiro, 1.331 vieram da agropecuária. O segmento ficou à frente da construção civil, com 1.230 novos empregos, seguida pelo setor de indústria de transformação que contratou 786 trabalhadores no período.

Conforme o Caged, a geração de 3.568 novos postos de trabalho em MS, em janeiro, representa um aumento de 111% se comparado ao mesmo período do ano passado, quando foram criados 1.689 empregos formais. Os dados indicam que a oferta de vagas no campo é a maior responsável por esse aumento significativo.

Do plantio à colheita, as oportunidades de emprego nas lavouras são inúmeras e atraem grande parte dos trabalhadores para o campo. De acordo com o Caged, o cultivo de cana-de-açúcar foi o setor agropecuário que mais contribuiu para a geração de postos de trabalho em Mato Grosso do Sul, em janeiro, respondendo por 63,5% ou 845 das contratações. Em seguida vem as atividades de apoio à produção florestal, com 135 contratações, o cultivo de algodão, com 124, e cultivo de soja, com 100.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), Eduardo Riedel, destaca que a silvicultura e a cana-de-açúcar são as principais atividades econômicas em expansão do setor no Estado. "Os dados de contratações demonstram a relevância do agronegócio para o Estado não somente pelo viés econômico, mas também do ponto de vista social, com a geração de postos de trabalho", assinalou.

De acordo com o Caged, no acumulado dos últimos doze meses o montante de empregos gerados em Mato Grosso do Sul atingiu 28.692 postos de trabalho, correspondendo a um aumento de 7,25% em relação ao período anterior.

Histórico

As ofertas para o mercado de trabalho na área rural refletem um desenvolvimento gradual. De acordo com dados compilados pelo Agroalimento – Anuário da Produção Agrícola e Pecuária de Mato Grosso do Sul, a produção total de grãos no Estado aumentou 617% em 30 anos. Na safra de 1977/1978, as lavouras cultivadas com grãos ocupavam 1,3 milhão de hectares em MS, com produção total de 987,2 mil toneladas de produtos agrícolas. Já na safra 2008/2009, a área cultivada alcançou 2,8 milhões de hectares, com produção em torno de 7 milhões de toneladas de grãos. No segmento da pecuária, o rebanho bovino, que era de 9 milhões de cabeças há três décadas, hoje se aproxima de 20 milhões de cabeças.

Segundo a publicação, somente no período compreendido entre 1998 e 2009, o agronegócio de MS ampliou suas exportações em 1.133%, passando de uma receita de US$ 130,7 milhões para US$ 1,611 bilhão. Na safra 2010/11, somente de soja os produtores de Mato Grosso do Sul esperam colher 5,6 milhões de toneladas, 7% a mais que na última safra.


 

Leia Também