Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

Agricultura quer mais prazo e juros menores na renegociação da dívida

27 MAR 2008Por 16h:42
     

        O setor agropecuário considerou insuficiente a proposta do Governo para solucionar o endividamento rural. A análise do grupo técnico da Comissão da Agricultura da Câmara, Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) foi entregue hoje aos ministros da Fazenda, Guido Mantega, e da Agricultura, Reinhold Stephanes, indicando quatro pontos imprescindíveis para equacionar o passivo dos produtores.

         

        Defende o prazo de até 17 anos (2025) para amortização das dívidas contraídas com recursos de todas as fontes do crédito rural, o que comprometerá 5% da produção bruta anual. Aponta, também, a necessidade de depuração do saldo da dívida de todos os programas de crédito rural para eliminar as distorções dos débitos. Pede, ainda, taxas de juros de 4% ao ano, ao invés da substituição dos indexadores que corrigem os contratos, além da carência mínima de um ano entre a renegociação e o início do pagamento.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também