Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 18 de novembro de 2018

Agentes da PF rejeitam acordo do governo federal e mantêm greve

30 AGO 2012Por terra18h:00

Os agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal decidiram não aceitar a proposta oferecida pelo governo federal e manterão a greve da categoria por tempo indeterminado. A informação foi confirmada pela Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), na tarde desta quinta-feira.

De acordo com a Fenapef, os representantes dos 27 sindicatos abrangidos pela Federação estão em assembleia desde a manhã de hoje, em Brasília, discutindo os próximos passos a serem tomados. A conscientização da população, através de cartazes e outdoors a respeito da atual situação dos servidores seria uma das alternativas discutidas. A principal reivindicação dos grevistas é a reestruturação do plano de carreira, e não a remuneração salarial.

O movimento grevista
Iniciados em julho, os protestos e as paralisações de servidores de órgãos públicos federais cresceram no mês de agosto. Pelo menos 25 categorias entraram em greve, tendo o aumento salarial como uma das principais reinvindicações. O Ministério do Planejamento estima que a paralisação tenha envolvido cerca de 80 mil servidores. Em contrapartida, os sindicatos calculam que 350 mil funcionários aderiram ao movimento.

A greve afetou servidores da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Arquivo Nacional, da Receita Federal, dos ministérios da Saúde, do Planejamento, das Relações Exteriores, do Meio Ambiente e da Justiça, entre outros. O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (Sinagências) informou que dez agências reguladoras aderiram ao movimento.

Desde março, quando foi iniciado o processo de negociação salarial, foram realizadas mais de 200 reuniões para discutir reajustes, com mais de 31 entidades sindicais. Após apresentar proposta de aumento de 15,8%, dividido em três anos, o governo encerrou no dia 26 de agosto as negociações com os servidores. O prazo limite para envio do orçamento ao Congresso Nacional, com a previsão de gastos com a folha de pagamento dos servidores em 2013, é 31 de agosto.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também