segunda, 16 de julho de 2018

SEGURANÇA MÁXIMA

Agente baleado durante tentativa de fuga

4 NOV 2010Por karine cortez03h:00

 Os detentos Jean Paulo de Araújo, 21 anos, e Edilson de Oliveira Carvalho, 47 anos, tentaram fugir da Presídio de Segurança Máxima, em Campo Grande, na madrugada de ontem. Durante a interceptação dos internos, o agente penitenciário Lúcio de Oliveira Santos acabou sendo baleado na perna. A suspeita é de que o tiro tenha partido da arma de um policial militar, conforme apontam os próprios agentes. Mas o relações públicas da Polícia Militar, tenente-coronel Nelson Antônio da Silva, ressaltou que é precipitado apontar que a munição partiu da arma de um PM. "Na prática os agentes não usam armas, só a polícia. Mas, na teoria, vai saber se é isso que acontece?", indagou o tenente-coronel, insinuando que os agentes poderiam estar armados.

O presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Mato Grosso do Sul, Fernando Anunciação, acredita que o tiro tenha partido mesmo da arma de um policial militar e classificou como "imprudente" a ação da PM durante interceptação dos fugitivos. Mas a PM, através do tenente-coronel Nelson, repudiou a declaração de Anunciação, considerando-a "precipitada". "A declaração dele imputando a responsabilidade à PM é precipitada porque ele não tem fundamentação técnica para tanto e nem mesmo é perito criminal para fazer tal afirmação", enfatizou.

A coordenadoria de perícias da segurança pública apreendeu as armas dos policiais militares que estavam no local para fazer o exame de balística e recolheram as cápsulas deflagradas que estavam no pátio do presídio. "Vamos ver se algum tipo de munição das armas usadas por nossos policiais é a mesma que atingiu o agente. Ainda não sabemos qual foi a munição que o acertou, mas, assim que tivermos essa informação, será feita a análise", enfatizou o tenente-coronel Nelson. As armas utilizadas por equipes da PM que atuam no Presídio de Segurança Máxima são: pistola .40, fuzil 7,62 e revólver calibre 38.

De acordo com informações repassadas pela Santa Casa, a bala transfixou a perna direita de Lúcio, mas o estado dele não é grave. Ainda na manhã de ontem ele passaria por um procedimento cirúrgico.

 Fuga
A tentativa de fuga aconteceu por volta das 5h quando os detentos, depois de serrar grades da cela 8 do pavilhão 2, jogaram uma corda feita com lençóis para pular o muro que dá acesso à quadra na intenção de chegar até a muralha que cerca a unidade. Eles conseguiram abrir um buraco no alambrado e, quando iriam para a quadra, foram surpreendidos. "Um policial militar viu o preso e deu um tiro para cima como alerta para acionar os demais policiais", explicou o tenente-coronel Nelson.

 Antecedentes
Informações repassadas pela Polícia Civil dão conta de que Edilson cumpria pena por latrocínio – roubo seguido de morte – e Jean foi preso em flagrante pelo crime de roubo com emprego de arma. Jean havia sido preso por roubo no dia 11 de março de 2008 e, no dia 7 de agosto de 2009, foi para a Colônia Penal Agrícola, de onde fugiu dois dias depois. Em dez de setembro do mesmo ano, o rapaz foi preso em flagrante quando pratica roubo.

Leia Também