Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 18 de novembro de 2018

Agência da ONU diz que Irã tem condições de produzir até duas bombas atômicas

7 SET 2010Por 12h:45
     A Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea), ligada à Organização das Nações Unidas (ONU), acusou ontem (6) o Irã de ocultar informações relevantes sobre o programa nuclear desenvolvido no país. De acordo com a agência, os iranianos produzem urânio de baixo grau de enriquecimento. Segundo especialistas, este material é suficiente para produzir duas bombas atômicas, caso seja enriquecido em até 90%. A Aiea reclama ainda que os iranianos  não colaboram com as inspeções de especialistas nas usinas nucleares.
        
        Os dados estão em um relatório da agência e as informações são da BBC Brasil. A Aiea informou que o Irã, nos últimos dois anos, colaborou para a "possível deterioração na disponibilidade de várias informações relevantes, que aumentam a urgência deste assunto". Desde novembro de 2009, segundo a agência, o estoque iraniano de urânio de baixo enriquecimento (até 20%) aumentou em 15%, chegando a um total de 2,8 toneladas.
        
        Pelo relatório, a Aiea não tem condições de confirmar que o programa nuclear iraniano é totalmente pacífico, pois o Irã coloca objeções ao trabalho dos inspetores. De acordo com as autoridades da agência, o governo do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, apresentou objeções aos inspetores escolhidos pela agência para trabalhar no país persa, prejudicando a realização do trabalho.
        
        Em 17 de maio deste ano, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, negociaram com Ahmadinejad um acordo para a troca de urânio levemente enriquecido pelo produto enriquecido a 20%. Com isso a comunidade internacional afastaria as restrições ao Irã, mas essas negociações não foram encampadas pela comunidade internacional, que ainda mantém desconfianças sobre os fins pacíficos do programa nuclear desenvolvido no país.

 

A polêmica em torno do programa nuclear iraniano gerou sanções ao Irã por parte do Conselho de Segurança das Nações Unidas, da União Europeia, dos Estados Unidos, do Canadá e Japão. Para a maior parte da comunidade internacional, o governo do Irã esconde a produção de armas atômicas. Porém, as autoridades do país negam as suspeitas.
        

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também