Quarta, 13 de Dezembro de 2017

ELEIÇÕES

Aécio rebate Dilma e diz que PT está 'à beira de ataque de nervos'

11 FEV 2014Por FOLHA PRESS18h:45

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), rebateu hoje as críticas da presidente Dilma Rousseff à oposição ao afirmar que o PT está "à beira de uma crise de ataque de nervos".

Aécio disse que Dilma foi protagonista de um evento partidário, ontem à noite, confundindo sua atuação com a de presidente. "Está muito cedo para um partido preocupado com o cenário eleitoral mostrar tanto desequilíbrio. Em relação às ofensas, a minha boa formação mineira me impede de respondê-la no mesmo tom", afirmou o tucano.

Numa crítica ao presidente do PT, Rui Falcão, Aécio disse que o petista deveria falar sobre a crise de energia que atinge o país e as deserções no programa Mais Médicos e não usar seu discurso no evento para atacar a oposição.

"Assistimos de forma patética uma sucessão de neologismos desencontrados que remontam aos mais gloriosos tempos dos aloprados. Devem vir dossiês fajutos. O PT protagonizou não uma festa, um evento partidário, mas inspirado talvez em Almodóvar, assistimos ali um partido à beira de uma crise de nervos", afirmou.

Críticas de Dilma

Dilma fez ontem duras críticas a opositores de seu governo, a quem chamou de "pessimistas" e "caras de pau" . Segundo ela, dizer que o modelo de governo do PT está esgotado "é mais do que uma mentira, mas uma agressão ao bom senso e à autoestima dos brasileiros".

"Eles têm a cara de pau de dizer que o ciclo do PT acabou", afirmou Dilma ao discursar por 40 minutos no evento realizado em São Paulo para comemorar os 34 anos do PT e que serviu como lançamento da pré-campanha da presidente à reeleição.

"Esses pessimistas agora aproveitam alguns desequilíbrios da conjuntura internacional, muito difícil para todos os países, para dizer que o fim do mundo chegou. O fim do mundo chegou sim, mas chegou para eles, e isso faz muito tempo", afirmou.

Apesar de não citar nomes, a fala de Dilma responde a Aécio e ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), prováveis adversários da presidente na disputa ao Planalto. Ambos vêm afirmando que o ciclo do PT se encerrou.

No mesmo evento, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, disse que a oposição ao governo se divide em dois grupos que, segundo ele, "são especialistas em mofo" e "doutores em bolor", apesar de fazerem discursos de mudança e renovação.

Sem citar partidos ou nomes, Falcão disse que as forças opositoras são "partes de um mesmo corpo" e "farinha do mesmo saco", que representam o "neopassadismo" e o "novovelhismo".

Para o senador Álvaro Dias (PSDB-PR), a fala da presidente mostra que Dilma "subiu no palanque" antes do período eleitoral. "Se ela parte para uma agressão de baixo nível, isso minimiza o cargo que ela ocupa. Isso é discurso de palanque mal arrumado. Ao invés de ser presidente, virou candidata", atacou o senador. 

Leia Também