Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

INVESTIGAÇÃO

Advogado entrega nome de suspeito por morte de cinegrafista

Advogado entrega nome de suspeito por morte de cinegrafista
10/02/2014 15:16 - Terra


​O advogado Jonas Tadeu Nunes disse nesta segunda-feira que passou à polícia no Rio de Janeiro o nome e informações do homem que acendeu o rojão que atingiu o cinegrafista Santiago Ilídio Andrade, que teve morte cerebral. Nunes representa o tatuador Fábio Raposo, preso acusado de ser coautor do crime. Andrade teve morte cerebral hoje.

Policiais da 17ª Delegacia de Polícia (São Cristóvão) estão em diligência na tentativa de capturar o suspeito. Momentos após o advogado ter falado com a imprensa, o delegado Maurício Luciano, titular da 17ª DP, deixou o prédio.

"O objetivo da defesa era delação premiada. O Fábio não conseguiu indícios diretos pelo Facebook dele, mas me passou um caminho para que eu chegasse a essa pessoa. Não é o acusado, é uma pessoa próxima que está ajudando esse homem a se entregar e ter os mesmos benefícios que o Fábio vai usar. O processo de delação premiada está concluído, acredito eu, mas não vou discutir isso aqui, vou discutir em juízo", diz o advogado.

Com a morte confirmada do Santiago, o advogado vai tentar transformar a acusação em "lesão corporal gravíssima seguida de morte". Até agora, a acusação era de tentativa de homicídio.

O delegado Maurício Luciano, titular da 17ª Delegacia de Polícia e responsável pelas investigações, disse que Fábio já foi indiciado por tentativa de homicídio qualificado e crime de explosão e que a pena pode chegar a 35 anos de reclusão caso o cinegrafista não resistisse aos ferimentos. Santiago Andrade teve afundamento do crânio, perdeu parte da orelha esquerda e foi submetido a uma cirurgia logo após ser levado para o Hospital Souza Aguiar, onde estava em coma induzido até ser constatada sua morte.

O tatuador confessou à polícia ter participado da explosão do rojão que atingiu o cinegrafista da TV Bandeirantes. Ele foi preso na manhã de domingo em cumprimento a um mandado de prisão temporária expedido pela Justiça. O cinegrafista cobria uma manifestação na Central do Brasil contra o aumento da passagem de ônibus de R$ 2,75 para R$ 3, que começou a vigorar no sábado no Rio de Janeiro, e acabou ferido por uma bomba identificada pela polícia como sendo do tipo rojão de vara.

Felpuda


Espalhar notícias ruins tornou-se muito mais rápido com o uso da tecnologia, e, além disso, não se trata mais de ações dos adversários. Isso é o que pôde ser visto ultimamente, quando a tchurminha do “aliado” tratou de deixar muita gente informada sobre o que a chamada "grande imprensa” tinha publicado, enviando notícias pelo WhatsApp e postando nas mídias sociais. E assim caminha a humanidade...