terça, 17 de julho de 2018

Advogado de iraniana condenada à morte pede asilo na Noruega

8 AGO 2010Por 20h:30
     

        O advogado que defende uma mulher condenada à morte por apedrejamento no Irã disse neste domingo, 8, que pediu asilo político na Noruega, mas que espera que as autoridades do Irã um dia permitam que retome suas atividades profissionais no país.

        Mohammad Mostafaei disse a jornalistas que decidiu fugir para a Noruega depois de obter um visto norueguês válido por um ano. Ele também citou o alto perfil de direitos humanos do país nórdico.

        O advogado de 31 anos havia fugido para a Turquia na semana passada, depois de ficar sabendo que as autoridades iranianas planejavam prendê-lo. No sábado, partiu para a noruega depois de ter sido detido pelas autoridades turcas, que alegaram problemas em seu passaporte.

        Mostafaei mantinha o blog que desencadeou a campanha mundial pela libertação de sua cliente, Sakineh Mohammadi Ashtiani, que havia sido condenada por adultério. Em julho, as autoridades iranianas haviam afirmado que não levariam a cabo a sentença de morte por apedrejamento de imediato, mas a mulher, mãe de dois filhos, ainda seria executada por enforcamento, por crime de adultério e outras ofensas.

        Embora Mostafei esteja pedindo asilo, não está claro que venha a se fixar na Noruega. Ele disse esperar que a pressão internacional force Teerã a permitir um retorno a seu escritório de advocacia.

        No fim de julho, Mostafei - um advogado que costuma atrair publicidade para seus casos e que já defendeu diversos delinquentes juvenis e presos políticos - foi convocado a comparecer a um interrogatório por autoridades da prisão de Evin, em Teerã. Liberado depois de horas, voltou a ser convocado, mas não compareceu.

        No mesmo dia, a mulher e o cunhado de Mostafei foram presos, numa possível tentativa de pressioná-lo a se entregar. Ele disse que pensou em se apresentar em vez de fugir, mas que não o fez porque sua mulher "jamais o perdoaria".

        As autoridades iranianas libertaram a mulher de Mostafei na tarde de sábado. Ele disse esperar que ela e a filha do casal, de 7 anos, possam ir a seu encontro na Noruega.

         

        (Agência Estado)

Leia Também