Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

LOJAS AMERICANAS

Advogada de segurança entrará com representações por racismo e tortura

5 MAI 2011Por Gabriel Maymone11h:51

A advogada Regina Iara Ayub Bezerra, representante do segurança Márcio Antônio de Sousa, de 33 anos - que foi agredido por um vigia das Lojas Americanas no último dia 23 - diz que vai entrar ainda hoje com representação por racismo e vai solicitar investigações pelo crime de tortura.

Regina afirma que vai pedir indenização por danos morais, assistência médica e psicológica à Márcio e sua filha, que estava presente com o pai no momento da agressão. Segundo a advogada, o segurança está surdo do ouvido direito e tem uma lesão na vista, e ainda não sabe a gravidade. “Dependendo de qual a profundidade dessa lesão, o crime pode ser considerado como lesão grave ou gravíssima”, declarou a advogada hoje ao Portal Correio do Estado.

“Quem determina o valor da indenização é a Justiça” diz a advogada, que explica que, caso o segurança tenha direito à indenização, quem terá de pagar será as Lojas Americanas.

A perícia esteve ontem pela manhã no local da agressão realizando investigações no interior do estabelecimento. Segundo a delegada Daniela Kades, os policiais verificaram o posicionamento das câmeras e se haviam vestígios da agressão.

A delegada informa que ainda não dá para afirmar se o vídeo foi editado ou não, ela só confirma que a empresa entregou apenas as filmagens em que aparecem o segurança e o vigilante que foi espancado. “Ao invés de entregarem as imagens de tudo, eles entregaram apenas as filmagens em que os dois envolvidos aparecem. Agora que estou com as imagens de tudo para analisar”, explica a delegada, que diz que os laudos devem ficar prontos em até 30 dias.

Leia Também