CIDADES

Adolescente assassinado a tiros no Zé Pereira

Adolescente assassinado a tiros no Zé Pereira
21/07/2010 21:02 -


DANIELLA ARRUDA

Michel Willian de Arruda Benites, de 17 anos, foi assassinado a tiros, às 19h45min de anteontem, no Jardim Zé Pereira. Segundo informações do boletim de ocorrência, o corpo da vítima foi encontrado na Rua Coronel Zelito Alves Ribeiro, em frente ao campo de futebol do bairro. Ele apresentava perfurações na cabeça e nas pernas. Momentos antes do crime, testemunhas informaram à polícia que viram o adolescente conversando com outro jovem próximo ao local. Em seguida, foram ouvidos quatro disparos e ao verificar o que tinha acontecido, depararam com o menor já em óbito.
Conforme levantamento preliminar da Polícia Civil,  Michel Willian estava sentado em um dos bancos do campo de futebol, acompanhado de outro adolescente, não identificado, quando foi baleado. No local do crime, foi localizada a bicicleta da vítima, deixada estacionada no meio-fio. O adolescente não tinha histórico de atos infracionais. O caso será investigado pela 7ª Delegacia de Polícia Civil, que solicitou exame necroscópico do corpo da vítima.

Outros casos
Nos últimos 90 dias, pelo menos outros dois adolescentes foram assassinados em Campo Grande. Em 11 de julho, Thatyane Romeira Rocha, de 16 anos, morreu após ser baleada na cabeça na Vila Nasser. Já em 6 de junho, veio a óbito na Santa Casa o adolescente Leonardo de Oliveira Rocha, de 17 anos. Três dias antes, o adolescente havia sido atingido com um tiro na cabeça na Vila Nhá-Nhá.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".