Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

FLUMINENSE

Adilson Batista e Caio Júnior ganham força

14 MAR 2011Por terra15h:30

O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, tomou conhecimento da saída do técnico Muricy Ramalho na manhã de sábado, mas o anúncio oficial aconteceu apenas na noite de domingo, após o empate sem gols com o Flamengo pela Taça Rio. O treinador deixou o Engenhão sem falar com a imprensa. Agora, os dirigentes procuram um substituto e as duas opções mais fortes são as de Adilson Batista e Caio Júnior.

Embora não sejam os nomes preferidos nas Laranjeiras, Adilson e Caio Júnior são vistos como as duas soluções mais viáveis neste momento de pressão na equipe tricolor.

No próximo sábado, a equipe enfrenta o Boavista, pela Taça Rio. Na quarta da próxima semana, dia 23, tem um compromisso ainda mais importante, no Engenhão, contra o América, do México. Caso tropece, a equipe estará eliminado da Copa Libertadores, a prioridade em 2011.

Demitido do Santos no mês passado após a equipe mostrar irregularidade no Campeonato Paulista, Adilson Batista está disponível. O mercado ofereceu mais uma opção no domingo, quando Caio Júnior se desligou do Al Gharafa, do Catar, e deverá retornar ao Brasil até o fim da semana. Livres no momento, uma proposta do Fluminense não deverá ser recusada.

Caso decida tentar o mais difícil e buscar um nome que esteja empregado, a prioridade passa a ser Dorival Júnior, do Atlético-MG. O nome é o preferido do presidente Peter Siemsen, que deixou claro que vai comandar o departamento de futebol nos próximos meses, assumindo o posto deixado pelo vice-presidente de futebol Alcides Antunes, demitido no sábado.

Dorival é considerado um "milagreiro", capaz de realizar grandes trabalhos, mesmo quando não tem a melhor das estruturas. A falta de boas condições de trabalho foi o principal motivo alegado por Muricy para pedir demissão.

Já o empresário Celso Barros, presidente da Unimed, principal patrocinadora do Fluminense, gostaria de apresentar uma proposta a Renato Gaúcho, mesmo com a boa fase do treinador no Grêmio.

O problema é que, sem Alcides Antunes no clube, Barros perdeu acesso ao departamento de futebol e nos corredores das Laranjeiras se fala até mesmo que, depois de Muricy, a Unimed será a próxima a sair.

Leia Também