Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESTUPRO UFMS

Acusado será apresentado hoje em coletiva

Acusado será apresentado hoje em coletiva
13/04/2011 09:16 - EVELIN ARAUJO e LAÍS CAMARGO


A Polícia Civil e a Polícia Militar, em trabalho conjunto, prenderam na tarde de ontem o acusado de estuprar a estudante de 20 anos, acadêmica de Química, no matagal da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). O autor do crime, identificado por duas testemunhas é Robson Vander Lan, tatuador, de 29 anos. Ele foi encontrado na noite de segunda-feira na casa da tia, onde reside. Uma denúncia anônima levou a polícia até ele, mas Robson acabou fugindo. Ele será apresentado hoje às 10h pela Delegacia Especializada em Atendimento da Mulher (Deam), que dará informações e detalhes da investigação do caso. 

Segundo a delegada responsável pelas investigações, Cristiane Grossi, a estudante foi fundamental para a rapidez na resolução do crime. “Ela é muito equilibrada, nos ajudou muito. Também tem o fato do atendimento diferenciado, porque sabemos o tipo de crime que ela sofreu e tentamos ser mais humanizados, é um crime muito delicado”, afirma a delegada.

Mais de 500 estudantes protestaram ontem em frente à reitoria da universidade e até fecharam a Avenida Costa e Silva por alguns momentos. Além do apoio para a vítima do crime, os estudantes pediram mais segurança e em alguns momentos receberam em troca a opressão policial. Manifestantes contam que houve momentos de tensão em que agressões só foram evitadas devido aos gritos de: “e se fosse com a sua filha e estudante não é bandido, vão pegar o estuprador”.

O estuprador já havia realizado outros crimes, como estupro a uma criança de 9 anos e assassinato da namorada de 19 anos, que estava grávida. Apesar das acusações, ele é condenado apenas por roubo. A bicicleta e o short utilizados no momento do crime foram apreendidos na residência do sujeito.

Felpuda


O desgaste de antigas lideranças nacionais, com reflexo em nível local, é a maior preocupação dos dirigentes de partidos para as eleições deste ano, que terá reflexo em 2022. Em épocas passadas, essas figurinhas cruzavam os céus do País para visitarem os municípios e pedirem que a população votasse em seus ungidos. Agora, com pendências judiciais e poder enfraquecido, dificilmente seriam convidadas. A pandemia, que resultou no isolamento social, foi a pá de cal.