Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FORAGIDO

Acusado de latrocínio é preso 6 anos após o crime

Acusado de latrocínio é preso 6 anos após o crime
19/07/2012 12:05 - VÂNYA SANTOS


Tiago da Silva foi preso por equipe da 2ª Delegacia da Capital, acusado de matar e roubar Vardineis Arcanjo Cerqueira, no dia 1º de junho de 2007. Contra ele havia um mandado de prisão preventiva.

À época, investigações concluíram que Vardineis estava com um veículo carregado com 324 peças de couro in natura, de propriedade de um frigorífico, mas que seria entregue em Nova Andradina. Ao passar pelo anel viário, no km 489 da BR 163, em Campo Grande, a vítima foi interceptada por Amauri Ramos Bezerra, Paulo César Gomes e Tiago da Silva.

O trio, que estava armado, roubou o carro com a mercadoria e fugiu para uma chácara em Rochedinho, onde a carga foi transferida para outro veículo e vendida à receptadores. Já Vardineis foi levado para um cativeiro e morto.

O carro que estava com a vítima foi incendiado por Tiago e Amauri na Fazenda Espigão Alto, também em Rochedinho. De acordo com o delegado Weber Luciano de Medeiros, Paulo César e Amauri foram presos, condenados pelo crime e cumprem pena na Capital. Enquanto Tiago fugiu e, desde então, passou a se esconder em fazendas.

Felpuda


O desgaste de antigas lideranças nacionais, com reflexo em nível local, é a maior preocupação dos dirigentes de partidos para as eleições deste ano, que terá reflexo em 2022. Em épocas passadas, essas figurinhas cruzavam os céus do País para visitarem os municípios e pedirem que a população votasse em seus ungidos. Agora, com pendências judiciais e poder enfraquecido, dificilmente seriam convidadas. A pandemia, que resultou no isolamento social, foi a pá de cal.