segunda, 23 de julho de 2018

Santa Casa

Acusado de intermediar assassinato de vereador continua internado

13 NOV 2010Por Vânya Santos00h:00

Continua internado na Santa Casa, em Campo Grande, Valdemir Valsan, 43 anos, acusado de intermediar a contratação de dois pistoleiros para assassinar o presidente da Câmara Municipal de Alcinópolis, vereador Carlos Carneiro (PDT). Ele e o suposto autor do crime, Irineu Maciel, de 37 anos, estavam em uma viatura da Polícia Civil, que se envolveu num acidente há 16 dias, quando levava os presos para uma coletiva de imprensa. De acordo com assessoria de comunicação do hospital, Valdemir foi submetido a uma cirurgia para colocação de pinos no joelho, seu estado de saúde é considerado estável. Não há previsão de alta.

Já Irineu, apontado como autor do disparo que matou o vereador, sofreu escoriações durante o acidente, foi levado para a Santa Casa e, depois de receber alta foi encaminhado para uma cela da Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac). O advogado José Roberto Rodrigues da Rosa, que defende Irineu e seu cunhado Valdemir, contou que ingressou com pedido de habeas corpus para que o Estado se responsabilizasse pela saúde de seu cliente, que permaneceu numa cela com ferimentos abertos.

José Roberto disse que desistiu do pedido depois de conseguir que Irineu recebesse atendimento médico durante o último feriado prolongado, no início de novembro. "O juiz de plantão não determinou atendimento, então entrei no Tribunal de Justiça", explicou o advogado, ressaltando que agora o acusado está sendo atendido pela equipe de saúde do Instituto Penal de Campo Grande.

A defesa esclareceu ainda que está estudando o processo e que por enquanto não pretende ingressar com pedido de liberdade para seus clientes.

Acidente
Irineu e Valdemir estavam sendo transportados na parte traseira de uma viatura de polícia, que capotou depois de colidir com um veículo Siena na manhã do último dia 27 de outubro, no cruzamento das avenidas Afonso Pena e Ernesto Geisel, em Campo Grande. Os presos eram escoltados por quatro policiais, que tiveram ferimentos leves.

Homicídio
O vereador Carlos Carneiro foi assassinado na manhã de 26 de outubro, com três tiros, que atingiram rosto, tórax e abdômen. O crime aconteceu na Rua Guia Lopes, centro de Campo Grande, ao lado do Hotel Vale Verde. Os pistoleiros Aparecido e Irineu foram presos em flagrante por investigadores de polícia, que passavam pelo local na hora dos disparos. Os acusados revelaram que o crime foi encomendado e que receberiam R$ 20 mil para matar o presidente da Câmara.

O pai do vereador assassinado, Alcino Fernandes Carneiro (PDT), que também é vice-prefeito de Alcinópolis, acusou o prefeito Manoel Nunes da Silva (PR) como mandante. Já o acusado negou as afirmações e explicou que ele e a vítima não eram inimigos. O vereador investigava supostas irregularidades na administração do prefeito.

O Poder Judiciário decretou o fim do segredo de Justiça na tramitação do processo sobre a morte de Carlos Carneiro e marcou a primeira audiência de instrução e julgamento para ouvir as testemunhas de acusação para às 14h do dia 14 de dezembro.

Leia Também