Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 22 de setembro de 2018

FÁTIMA DO SUL

Acusado de enterrar a ex-mulher no quintal é preso

9 JAN 2014Por Agora News23h:00

Policiais Militares de Fátima do Sul apreenderam na noite desta quinta-feira (09) Rafael London Marques da Silva, 27 anos, acusado de matar e enterrar a ex-mulher, Márcia da Costa Moreira, 34 anos.

O acusado estava hospedado num hotel no centro da cidade e teria tentado fugir quando abordado pelos policiais militares do 16º BPM. Num primeiro momento, ele negou ser o homem procurado pela polícia e depois fechou a porta do quarto, de onde tentou escapar sem sucesso.

Márcia estava desaparecida há dois meses e o caso ganhou proporções maiores após a mãe da vítima, que mora no Paraná, chegar a Dourados e registrar um boletim de ocorrência na delegacia.

O acusado será levando para o 1º Distrito Policial de Dourados, onde prestará depoimento.

No 1º DP de Fátima do Sul, Rafael relatou a reportagem do site AgoraNews, que matou a ex-mulher atropelada, quando tentava deixar a residência onde os dois residiam e onde funcionava a empresa de venda de marmitas que administravam juntos.

Rafael relatou ainda que após o crime ficou apavorado, e assim decidiu omitir o crime e enterrou o corpo nos fundos da quitinete, onde eles pretendiam morar.

O caso

O corpo da empresária Márcia da Costa Moreira, 34 anos, desaparecida há cerca de dois meses, foi encontrado na manhã desta quinta-feira nos fundos de uma Kitnet na Rua Filinto Müller, no Jardim Márcia.

O companheiro de Márcia, identificado como Rafael, principal suspeito do desaparecimento, disse a princípio que Márcia teria ido embora, para um lugar desconhecido. Nessa quinta-feira ele contatou o advogado que informou à polícia onde estava o corpo da vítima.

A mãe de Márcia, Maria Ribeiro Bueno, de 48 anos, chegou na quarta-feira (08) em Dourados e disse à delegada Magali Leite Pascoal que sua filha Márcia residia com o filho de 13 anos e Rafael, no centro da cidade. O casal tinha uma pequena empresa que distribuía marmita na cidade.

Durante depoimento, Maria contou que telefonava para a filha e o telefone vivia desligado. Ela só ficou sabendo do desaparecimento de Márcia depois que recebeu de surpresa, em sua casa, o neto de 13 anos. O garoto, segundo ela, foi colocado num ônibus por uma mulher desconhecida com destino à casa da avó.

A delegada Magali também ouviu o filho de Márcia, que foi até a delegacia com a avó. O garoto informou que há aproximadamente 60 dias chegou da escola e não encontrou a mãe em casa. Relatou que o padrasto teria informado que Márcia estaria no hospital. Os dias se passaram e o garoto disse que cobrava a presença da mãe e, Rafael, alegou, desta vez, que teria encaminhado a mulher para Campo Grande para passar por uma cirurgia.

Rafael que é o principal suspeito do desaparecimento, disse que Márcia teria ido embora, para um lugar desconhecido. A Polícia Civil fez diligências na casa do casal, no entanto, não encontrou Rafael. O pai do suspeito também está sendo procurado pela polícia. Ao checar a placa do carro de Márcia, os policiais identificaram que o veículo recebeu multa em Dourados no dia 24 de novembro, quando Márcia supostamente já teria ido embora de casa. (Com informações de Sidnei Bronka)

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também