Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

HOJE

Acusado de encomendar morte de tatuador vai a júri

11 SET 12 - 00h:00DA REDAÇÃO

Está marcado para hoje (11), o julgamento de Miguel Bacargi Filho, acusado de ser o mandante do assassinato do tatuador Luciano Estevão dos Santos, no dia 25 de março de 2008. Consta na denúncia que, por volta das 18h, uma terceira pessoa, a mando do réu, se dirigiu até o estúdio de confecções de tatuagens da vítima, localizado na rua Pedro Celestino, no centro de Campo Grande, e atirou nela causando-lhe a morte. 

O julgamento já foi adiado por duas vezes a pedido da defesa em razão de problemas de saúde. O último pedido de adiamento foi no mês de agosto. No entanto, o juiz que atua na 1ª do Júri, Alexandre Ito, determinou que o réu mantenha dois procuradores ou mais para atuarem em sua defesa, pois não admitirá novo adiamento pelo mesmo motivo. Nesta terça-feira o júri será presidido pelo juiz Aluízio Pereira do Santos, em razão das férias de Alexandre Ito.

Júri popular

O julgamento terá início às 8h e o plenário será aberto às 7h30min. A entrada será feita por ordem de chegada. Está confirmada a presença de cerca de 140 alunos do ensino médio e de faculdades de Direito.

Embora o julgamento aconteça no plenário maior do Tribunal do Júri, com capacidade para 111 pessoas. Ele será exibido, por meio de telão, no plenário menor que tem capacidade de 56 lugares. Não será permitida a entrada de pessoas com camisetas, faixas ou quaisquer escritos relacionados ao fato.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

ARTIGO

Gaudêncio Torquato: "Ciclo das lorotas chega ao fim"

Jornalista e professor da USP
OPINIÃO

Renato Falchet Guaracho: "O mito do juiz de garantias e o ativismo judicial do STF"

Felpuda

LEI

Juiz de garantias vai beneficiar defesas, dizem promotores ao STF

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião