terça, 17 de julho de 2018

Polícia Civil

Acusado de assassinatos procurado fora de MS

11 DEZ 2010Por 02h:20

A Polícia Civil procura até em outros estados por Weber de Sousa Barreto, suspeito de envolvimento nos assassinatos de Regina Bueno França, de 40 anos, e Cláudia de Araújo Mugnaíne, de 34 anos, encontradas degoladas no dia 1º de dezembro, no Jardim Tijuca, em Campo Grande. A polícia não revela detalhes para não atrapalhar as investigações, mas fontes do Correio do Estado confirmam que há equipes fora de Mato Grosso do Sul para tentar prender o foragido.

De acordo com investigações da 6ª Delegacia de Polícia Civil e da Delegacia Especializada de Repressão a Homicídios (DEH), Weber, conhecido como Ebinho, matou Cláudia, de quem era amigo. Ele assassinou a cabeleireira após Cristian Rampagne, que está preso, matar Regina. Cristian cortou o pescoço da estudante de Direito, lavou a faca utilizada e depois entregou a arma para o comparsa. Antes de degolá-las, os dois tamparam a boca delas com pano e amarraram os braços com cordas. Depois de matá-las amarraram o pescoço junto ao corpo com fios.

A Polícia Civil tenta descobrir se Weber e Cristian estavam na casa de Cláudia antes de Regina chegar ou se entraram depois. Eles sabiam que era rotina da universitária sair da faculdade e passar na residência da amiga. Segundo a polícia, o autor preso diz que ele e o foragido ficaram dando voltas de carro na quadra, esperando Regina chegar. No entanto, os policiais suspeitam que eles já estavam no imóvel, pois a acadêmica foi vista saindo da faculdade falando ao celular com uma pessoa que parecia estar sendo pressionada.

Conforme investigações feitas até o momento pela Polícia Civil, Cristian e Weber mataram Regina e Cláudia a mando de Eder Rampagne Castedo, que estava no Estabelecimento Penal de Segurança Máxima. Ele mandou assassinar as duas por vingança, após ter descoberto que a estudante de Direito teria contado à polícia onde ele estava, depois de ter fugido do regime semiaberto, o que fez com que fosse preso novamente.

Leia Também