Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 18 de outubro de 2018

Acusado de assalto a lan house na Piratininga é morto pela PM

5 AGO 2010Por 07h:36
MICHELLE ROSSI

Luiz Eduardo Batista Rezende, 21 anos, morreu após ter sido alvejado pela Polícia Militar (PM), com dois tiros, na noite de terça-feira em Campo Grande. O fato ocorreu após um assalto que teria sido praticado por Luiz, momentos antes do confronto com a PM.
Segundo registros da polícia Luiz e outra pessoa ainda não identificada abordaram pessoas numa lan house no Bairro Piratininga, na terça-feira ao fim da tarde. Ambos chegaram com uma moto modelo Twist, cor preta, e apenas um deles estava armado. Efetuaram o assalto no estabelecimento e levaram dois celulares mais R$ 64. Uma pessoa que estava nos arredores do local onde foi praticado o assalto conseguiu anotar a placa da moto e informou às autoridades.
De posse da informação, a polícia foi até o endereço relacionado à placa da motocicleta, no Bairro Taveirópolis, encontrando o veículo e também Luiz, que ao ver a PM, fugiu pulando os muros da vizinhança e foi perseguido pelos policiais que deram voz de prisão.
Nesse momento, segundo registros do Boletim de Ocorrência, Luiz teria sacado uma arma de fogo mas não chegou a efetuar disparos, no entanto foi atingido por um tiro dos policiais. Ele teria ainda conseguido andar mais alguns metros quando foi alvejado novamente. Luiz foi encaminhado para a Santa Casa, onde veio a óbito por volta das 20h.
Com ele foram aprendidas uma arma de fogo, um celular, R$ 7, dois papelotes de pasta-base e uma touca balaclava – bastante usada em assaltos. Luiz tinha passagem pela polícia: quando adolescente por furto e porte ilegal de arma de fogo (de uso permitido) e quando adulto por furto, desobediência e porte ilegal de arma de fogo (uso permitido).
O companheiro de Luiz no assalto não foi localizado até o momento.  Já os policiais que atiraram contra o suposto assaltante prestaram depoimento na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) e foram liberados.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também