Sábado, 21 de Abril de 2018

Acordos aceleram votações na Câmara Federal

5 JUL 2008Por 22h:00
     

Brasília

 

Com poucas e estreitas "janelas" para votação, a Câmara tem estabelecido um modo de trabalho que privilegia os acordos partidários e o mínimo de discussão possível em plenário. As votações dos projetos têm sido rápidas e simbólicas - isto é, sem o registro dos votos no painel eletrônico. A pauta é escolhida em um acordo com os líderes, no qual cada bancada procura incluir uma cota de propostas a serem apreciadas.

"Essa forma ligeira de votar é um perigo. Corre-se o risco de votar bobagem. Votar projetos que representem aumento de gastos públicos, por exemplo", avalia o deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP). Em uma dessas "janelas", a Câmara aprovou a flexibilização da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Madeira foi o único voto contra, mas, após a repercussão, disse ter sido procurado por deputados que lhe garantiram que também teriam sido contrários se soubessem que o projeto reduz o controle do gasto público.

 

Com informações da Agência Estado

Leia Também