Quarta, 24 de Janeiro de 2018

Ações da Petrobras pressionam e Bolsa opera em queda

30 AGO 2010Por 12h:55
     

 O mercado acionário brasileiro acentuou as quedas registradas no pregão desta segunda-feira (30), pressionado não apenas pelo desempenho das bolsas americanas, mas também pela forte baixa das "blue chips". Às 13h04, o Ibovespa marcava desvalorização de 1,45%, aos 64.634 pontos. As ações da Petrobras caíam 2,82%.

Entre os indicadores do dia, o Departamento do Comércio dos Estados Unidos apontou que o gasto do consumidor americano subiu 0,4% em julho, enquanto a renda avançou 0,2%.

Já o índice de atividade manufatureira na região do Texas, medido pelo Federal Reserve (Fed) de Dallas, ficou negativo em agosto, pelo terceiro mês seguido, ao marcar -13,5. Apesar disso, o indicador apresentou uma evolução em relação a julho, quando marcou -21, o nível mais baixo em um ano.

O analista da Socopa Corretora, Marcelo Varejão, no entanto, aponta como destaque os papéis da Petrobras. "As ações mostram forte queda, ainda com as indefinições em relação à capitalização e ao preço do barril na cessão onerosa. O tom está cada vez mais crítico e penaliza os papéis", ressaltou.

No ambiente internacional, Varejão aponta que a atenção recai sobre o apetite por fusões e aquisições nos EUA, que mostram um cenário mais otimista para a economia do país.

Nesta segunda-feira, os investidores acompanham o desenrolar da investida da francesa Sanofi-Aventis pela americana de biotecnologia Genzyme e o acordo feito pela Intel para ficar com uma unidade da alemã Infineon. Além disso, o mercado está na expectativa sobre o caso 3PAR, objeto de interesse da Dell e da HP.

Segundo Varejão, o investidor mantém uma posição mais cautelosa nesta jornada, também de olho na agenda movimentada desta semana. Além dos dados da China, os agentes aguardam principalmente os números do mercado de trabalho americano, referentes a agosto.

Na última sexta-feira, o Ibovespa subiu 2,69%, aos 65.585 pontos. O giro financeiro atingiu R$ 5,3 bilhões. Na semana, entretanto, o índice acumulou baixa de 1,64%.

Leia Também