segunda, 16 de julho de 2018

BRASIL E CUBA

Ações conjuntas para ajudar o Haiti a combater a cólera

2 JAN 2011Por AGÊNCIA BRASIL21h:15

 

O ministro de Relações Exteriores, Antônio Patriota, informou que o Brasil vai desenvolver ações em conjunto com Cuba para ajudar o Haiti a vencer a epidemia de cólera que assola o país desde o segundo semestre de 2010. O assunto foi tratado na reunião entre a presidenta Dilma Rousseff e o vice-presidente de Cuba, José Ramón Machado Ventura, hoje (2), no Palácio do Planalto.

 Ventura informou que médicos cubanos já estão trabalhando no Haiti e que há a preocupação na ilha caribenha com a disseminação da doença pelos demais países da região. O vice-presidente cubano também relatou que já há casos da doença na República Dominicana, país vizinho ao Haiti.

 Para as ações, de acordo com Patriota, os dois países também esperam contar com a parceria da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). “Brasil e Cuba vão intensificar ações no Haiti para evitar que a epidemia de cólera se alastre”, disse o ministro, que participou da reunião.

 Dilma e Ventura também conversaram sobre a continuidade da política amigável e próxima com Cuba e da intensificação das parcerias para o plantio de soja em território cubano e para a ampliação do Porto de Mariel.

 A audiência com Ventura foi um dos sete encontros bilaterais que a presidenta teve hoje, no seu primeiro dia de trabalho no Palácio do Planalto. Dilma também recebeu o príncipe Felipe de Astúrias, herdeiro da Coroa da Espanha, que entregou a ela uma carta de seu pai, o rei Ruan Carlos. Com o príncipe, Dilma conversou ainda sobre os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

 Outra reunião foi com o presidente do Uruguai, José Mujica. Dilma reafirmou para ele o compromisso de manter a frequência dos encontros bilaterais que estavam sendo mantidos pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a cada três meses com o país platino. Recentemente, o Uruguai optou pela adoção do sistema nipo-brasileiro de TV digital, decisão que foi elogiada pela presidenta.

 Dilma ainda se encontrou com primeiro ministro da Coreia, Kim Hwang-Sik, com o primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, com o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, e com o ex-primeiro ministro do Japão, Taro Aso. Também participou da reunião o secretário especial para Assuntos Internacionais da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia.

Leia Também