Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

Projetos

Ações buscam desafogar dois mil processos contra jovens infratores

12 ABR 2011Por LAÍS CAMARGO E DANÚBIA BUREMA14h:14

Atualmente existem mais de dois mil processos judiciais envolvendo adolescentes infratores no Mato Grosso do Sul. A questão é mais profunda que os motivos que levaram os menores a praticarem o ato e por isso pede mudança de valores e mentalidade. A Coordenadoria da Infância e Juventude irá retomar alguns projetos, além de estender a atuação de iniciativas que têm sido consideradas bem-sucedidas na Capital.

A partir do dia 15 o município de Maracaju receberá um ciclo de palestras do projeto Escola Formando o Cidadão. Além disso, a conciliação de adolescentes infratores com as vítimas é prioridade do projeto Justiça Restaurativa. Para o juiz da Infância e Juventude, Danilo Burin, é possível manter o tom amigável em infrações menos agressivas.

Crianças

O projeto Padrinho irá prosseguir na questão de adoção de crianças. Para os menores com até 12 anos incompletos (considerados crianças no Estatuto), que estejam envolvidos em situações judiciais, o projeto Família Acolhedora fornece abrigo em família até o julgamento do processo.

Cada município do Estado ficará responsável por viabilizar os projetos junto à Coordenadoria.

Leia Também