MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

Ação pede que professores retomem aulas para os dois últimos semestres

Ação pede que professores retomem aulas para os dois últimos semestres
17/08/2012 15:00 - DA REDAÇÃO


O Ministério Público Federal (MPF) em Três Lagoas ajuizou hoje (17) ação em que pede para que seja determinado aos professores e servidores em greve o restabelecimento parcial do funcionamento da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) em Três Lagoas, Paranaíba e Chapadão do Sul.

A retomada das aulas deve se dar exclusivamente para os alunos matriculados nos dois últimos semestres de todos os cursos de graduação, inclusive disciplinas eletivas, opcionais, estágios supervisionados e defesa de trabalhos de conclusão de curso.

O objetivo do MPF é compatibilizar o direito à greve com o direito à educação por parte dos alunos que estão no último ano de cada um dos cursos de graduação, aqueles com maior risco de prejuízos irreversíveis em razão da greve. Este direito está sendo integralmente desconsiderado diante da greve, que acarretou uma paralisação total nas três unidades.

As aulas na UFMS estão paralisadas há 65 dias e não há previsão de término do movimento grevista. Somente no campus de Três Lagoas são 424 alunos cursando os dois últimos semestres nos cursos de Geografia, Matemática, Pedagogia, Direito, História, Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Letras, Administração e Enfermagem. Eles correm o risco de não se formar este ano e perder oportunidades acadêmicas e profissionais. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".